1982 FIFA World Cup ™ – Notícias – Brasil 1982 em destaque

Antes da Espanha em 1982, o Brasil continuava com uma seqüência de 19 jogos sem perder, com 46 gols marcados e dez sofridos. Série que incluiu dez vitórias consecutivas em que, em sete dias, os brasileiros venceram a Inglaterra em Londres, a França em Paris e a Alemanha Ocidental em Stuttgart.

O pacote Careca

Se Careca não jogou nenhuma partida pelo Brasil antes de 1982, a sensação do jovem de 21 anos é o artilheiro da Seleção quando Telê Santana convoca o seu grupo pela Espanha em 1982, titular de três dos últimos quatro amistosos do Brasil . Mas, três dias antes do início do torneio, o guarani foi atingido na coxa durante um treinamento e deve desistir.

O Brasil teve uma pausa de nove dias entre seu último jogo da primeira fase de grupos contra a Nova Zelândia e seu primeiro jogo da segunda fase de grupos contra a Argentina.

Resultados

Brasil 2-1 URSS

Brasil 4-1 Escócia

Brasil 4-0 Nova Zelândia

Argentina 1-3 Brasil

Itália 3-2 Brasil

O Treinador

“Assim que ele chegou, as coisas mudaram drasticamente”, disse Falcão sobre a nomeação do Telê Santana como gerente. “Tornou-se muito mais divertido brincar com o Seleção. Ele queria que jogássemos instintivamente e não sistematicamente. Ele estava empurrando os laterais para o ataque. Ele não queria meio-campistas axiais que se limitam a parar os adversários; ele queria que eles soubessem como fazer bom uso da bola. Ele nos deu a liberdade de tentar tudo o que quiséssemos. Ele sempre nos pedia para fazer o show. “

Telê é famoso por ter dito esta frase: “Prefiro perder fazendo um bom jogo do que ganhar jogando mal”. O Brasil pode não ter vencido a Espanha em 1982, mas esta seleção se tornou uma das mais admiradas da história.

READ  o duelo político por trás da crise de saúde

As estrelas

Éder

Quando chegou à Copa do Mundo, Éder é conhecido como “a bomba Vespasiano” ou “o canhão” por causa de sua soberba força de ataque. Na Espanha, Éder fez jus à sua reputação ao desferir um poderoso vôlei contra a União Soviética e fazer tremer a trave contra a Argentina, que lhe valeu um novo apelido: Exocet, em homenagem ao míssil francês. Mas o lateral-esquerdo também desmente seus apelidos ao marcar um dos gols mais delicados da história do torneio: um golpe contra a Escócia.

Falcão

Mozart on grass, compositor extraordinário, “o oitavo rei de Roma”, o precursor de Andrea Pirlo e Xavi… Falcão continua a ser um dos círculos mais inteligentes e um dos melhores transeuntes da história. Na Espanha, ele marcou três gols em cinco partidas, incluindo o soberbo primeiro empate na derrota por 3-2 para a Itália.

Júnior

Aparentemente, fazer um jogador que certamente teria sido um dos melhores nº 10 da história a evoluir para a posição de nº 6 não é trapacear em 1982. Júnior – lutador, líder e maestro da bola – é uma exceção na Espanha. Ele marcou um gol magnífico contra a Argentina depois de uma dobradinha com Zico e liderou muitas ofensivas esplêndidas lideradas pelo Seleção.

Leandro

Aqui está outro jogador com qualidades astronômicas que poderia ter jogado em qualquer lugar do campo. Seja nas cores vermelho e preto do Flamengo ou no amarelo, com o Brasil, Leandro e Júnior formaram uma das dobradiças mais sensacionais da história do futebol.

Sócrates

Absolutamente único, seja na aparência, na personalidade ou no jogo, o “médico” personificava a elegância. Medindo 1m93, o craque vendado cortou as defesas com precisão cirúrgica graças aos seus passes profundos. Ele hipnotizava seus oponentes com suas fintas e sabia usar saltos como ninguém. Ele também sabia acertar o alvo com o pé direito, independente de sua posição em campo. Rinat Dasayev provavelmente ainda se lembra disso.

READ  No Brasil, ladrões fortemente armados pegam o cofre errado

Zico

Deus entre os deuses, bem no meio do que foi sem dúvida o melhor meio-campista da história (pelo menos o mais fascinante), Zico está em sua melhor forma em terras ibéricas. Como Johan Cruyff na Alemanha em 1974, suas atuações teriam merecido o topo do pódio.

Zico terminou o torneio com oito gols acumulados e assistências (quatro e quatro), mais do que qualquer outro jogador. Atrás dele: Pierre Littbarski e Paolo Rossi (sete cada).

Ouviu…

“O Brasil em 1982 era a seleção nacional mais maravilhosa que já existiu. Júnior, Falcão, Sócrates, Éder, Zico… uma grande reunião de talentos fenomenais. Eles eram uma equipe extraordinária. ” – Pep Guardiola

“O Maradona era grande, mas o Zico era sensacional. Não dava para chegar perto o suficiente para bater nele.” – GRaeme Souness, sobre o adversário mais difícil que ele enfrentou

“O Brasil tinha um time incrível. Tinha jogadores maravilhosos, que pareciam jogar telepaticamente. Eles eram tão criativos, sabiam improvisar e tinham um ótimo técnico, o Telê”. – Cesar Luis Menotti

“O toque de bola, a dobradinha, os dribles … A elegância deles era inconcebível. Eles nunca marcaram um gol normal. Não sei se foram o melhor time da história, mas ninguém jamais o reproduziu. Isso jogos.” – Alan Rough

“Em todos os meus anos no futebol como jogador, como treinador e como jornalista, nunca vi uma equipa, por melhor que seja o seu jogo, não receber qualquer tipo de crítica. Sempre havia algo do que reclamar. Mas ninguém, quero dizer ninguém, disse coisas ruins sobre nós. É porque estávamos realmente jogando futebol que era extremamente bonito de se ver. “- Falcão

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *