4 anos de prisão para o contrabandista-piroga reincidente preso em

O contrabandista-piroga reincidente preso no dia 14 de janeiro na foz do Approuague com 34 brasileiros ilegais a bordo de sua canoa foi condenado a 4 anos de prisão.


Era 9 de fevereiro no tribunal de Caiena, o caso do contrabandista-piroga reincidente estava em andamento. O homem foi preso em 14 de janeiro na foz do Approuague. Ele carregava 34 brasileiros ilegais em sua canoa. Circunstância agravante para o Ministério Público: não havia equipamento de navegação ou segurança e apenas 21 coletes, para 35 pessoas.

Um drama de miséria social segundo a defesa

5 dias antes de sua prisão, ele já havia sido condenado a 8 meses de prisão suspensa, por um caso semelhante.
Para a advogada de defesa Safia Benhamida, é antes de tudo um drama de miséria social:

Meu cliente é natural de Macapá e conhecemos o estado de calamidade pública que o Brasil conheceu e que hoje gera um aumento da criminalidade, da delinquência e, em particular, da chegada clandestina à Guiana de estrangeiros que vêm em busca de meios de subsistência ou condições de vida mais honrosas.

Os juízes deram um veredicto severo. O brasileiro foi condenado a 4 anos de prisão, interdição vitalícia em território francês e confisco dos bens e bens apreendidos.

O relatório de Karl Constable e Laurent Marot

Justiça: 4 anos de prisão para o barqueiro – reincidente.

READ  "Na Guiana, a Amazônia francesa não é melhor tratada do que sua vizinha brasileira"

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *