A forma de Vinicius Junior no Real Madrid o prepara para jogar pelo Brasil na Copa do Mundo, aliviando a pressão sobre Neymar

Depois de sua brilhante atuação contra o Barcelona na semifinal da Supercopa da Espanha por 3 a 2 para o Real Madrid Clássico vitória, Vinicius Junior foi convocado para as eliminatórias da Copa do Mundo contra Equador e Paraguai.

O acima pode soar como uma declaração totalmente incontroversa. Afinal, o extremo de 21 anos está emergindo como uma das estrelas do futebol mundial, com a mais recente prova na quarta-feira com sua excelente atuação no King Fahd Stadium, na Arábia Saudita.

Mas em novembro, quando o Brasil convocou pela última vez um time para as eliminatórias e o técnico Tite leu 23 nomes, nenhum deles era Vinicius.

– ESPN FC 100: Os melhores jogadores e treinadores masculinos de 2021
– Você não tem ESPN? Acesse imediatamente

Sem uma lesão posterior de Roberto Firmino, do Liverpool, Vinicius teria ficado de fora. Em vez disso, o jovem teve a chance de provar seu valor, na Argentina; nos primeiros 90 minutos completos, ele jogou por A seleção, Vinicius aterrorizou a defesa da casa e o Brasil teve o melhor de um empate sem gols.

Esse desempenho por si só tornou impossível deixá-lo ir agora, mas suas atuações no clube têm sido tão consistentemente excelentes que o técnico do Real Madrid, Carlo Ancelotti, teve que responder a perguntas sobre um suposto vício em Vinicius.

De fato, Los Blancos lutou muito quando forçados a sair após testar positivo para o coronavírus, até uma derrota por 1 a 0 para o Getafe em 2 de janeiro. seu treinador, não pelos filmes e dribles solo, mas pelos gols.

“Ele marcou duas vezes”, disse Ancelotti, “como se fosse o centroavante do time. “

Este é um desenvolvimento chave. Vinicius sempre se destacou por seu ritmo – o que Titus chama de sua quinta marcha -, mas o jogo é sobre trocar de marcha de repente e saber quando fazê-lo. Trata-se de desacelerar na hora certa, manter a cabeça parada o suficiente para passar, cruzar ou chutar.

READ  desmatamento na Amazônia atingiu seu pior nível em 10 anos | CNEWS

Vinicius foi criticado por sua tomada de decisão ou por seu temperamento final. Não é uma surpresa – é mais difícil ser preciso quando ele está se movendo tão rápido quanto ele, afinal – mas ele é capaz de um casamento mortal de ritmo e precisão, o que o torna tão empolgante.

Por que, então, foi tão difícil para ele vencer pelo Brasil? Por um lado, ele teve poucas oportunidades. Sua estreia saiu do banco ao final de uma derrota amistosa em setembro de 2019 para o Peru e reapareceu na Copa América de 2021, fazendo quatro aparições como reserva.

Vinicius acabou sendo titular contra o Chile em uma partida de qualificação para a Copa do Mundo, antes de ser substituído no intervalo. Mais algumas saídas do banco se seguiram nas eliminatórias contra Venezuela e Colômbia, o que significa que o jogo contra a Argentina em novembro foi apenas sua segunda partida pelo Brasil e a primeira vez que ele jogou. mais de 45 minutos.

Ele teve que esperar pacientemente enquanto os poucos jogadores recebiam uma corrida prolongada e parece claro que Tite foi pego de surpresa pela ascensão de “Vini”; O técnico do Brasil estava montando um elenco onde não havia lugar óbvio no onze inicial para o jovem de São Gonçalo.

O padrão ficou claro na vitória de outubro por 4 a 1 sobre o Uruguai, o melhor desempenho do Brasil em algum tempo. Raphinha atuava como ponta-direita, com Lucas Paquetá na esquerda como meio-campista versátil e jogador de bola. Dentro dele, Neymar estava livre para vagar e se juntar a um atacante; Gabriel Jesus nesta ocasião, embora Gabriel Barbosa também tenha sido tentado e Matheus Cunha parece ser a melhor opção.

READ  A “inconsistência brutal” de Lula, que relativiza a ditadura na Nicarágua

Agora Titus é forçado a repensar. Com o Brasil já classificado com segurança para a Copa do Mundo, seria uma loucura não procurar muito e encontrar uma maneira de tirar o máximo proveito de Vinicius. Mas ele não pode escolher 12. Alguém deste time uruguaio terá que desistir, e o desafio de Tite é encontrar sua melhor combinação ofensiva.

É, como se costuma dizer, um problema bonito de se ter e uma oportunidade imediata é oferecida pela ausência de Neymar do último time devido a uma lesão. Além disso, o benefício pode ser duplo.

A ascensão de Vinicius ao poder ajuda Neymar a se concentrar e pressionar. Qatar 2022 significa muito para o legado de Neymar como jogador brasileiro; é o último que ele jogará em seu auge, e após as lesões e decepções de 2014 e 2018, as apostas dificilmente poderiam ser maiores.

Muita atenção foi focada em Neymar, mas o fardo agora pode ser compartilhado. A única coisa júnior sobre Vinicius é o nome dele. Ele deve se tornar o principal parceiro na tentativa do Brasil de encerrar uma espera de duas décadas pelo sexto título da Copa do Mundo.

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *