A primeira visita de Biden ao Pentágono, em meio à polêmica sobre o extremismo nas forças armadas

(Washington) O presidente dos EUA, Joe Biden, fará sua primeira visita ao Pentágono na quarta-feira em meio a debates acalorados sobre o extremismo dentro das forças armadas depois que vários veteranos à paisana participaram do ataque ao Capitólio.


France Media

Joe Biden é o primeiro presidente em 40 anos a servir seu filho (Beau Biden, que morreu de câncer em 2015) sob a bandeira. “Ele tem uma ligação pessoal com os militares, seu papel e significado”, disse a porta-voz Jane Psaki.

No início da tarde, ele deve ser recebido pelo novo secretário de Defesa Lloyd Austin, o primeiro afro-americano a liderar o Pentágono.

A nomeação desse general aposentado, que havia lutado em particular no Iraque e no Afeganistão antes do Comando Central do Exército dos EUA (Centcom), foi aprovada no final de janeiro pelo Senado por maioria esmagadora.

“Esta visita é particularmente importante durante o ‘Mês da História Negra’ (um mês dedicado à celebração da história dos afro-americanos nos Estados Unidos), enfatizou um porta-voz da Autoridade Executiva americana. Ao Exército Afro-americano.”

Joe Biden, que deve falar às 14h50, deve falar sobre a questão do extremismo e racismo nas forças armadas dos EUA em particular.

Pouco antes de assumir o cargo, o Sr. Austin disse: “As atividades que testemunhamos recentemente em nossas fileiras, em termos de potencial comportamento racista ou extremista, são, em minha opinião, totalmente inaceitáveis.”

“A missão do Departamento de Defesa é proteger a América de nossos inimigos, mas não podemos implementá-la se alguns desses inimigos se esconderem em nossas fileiras”, acrescentou.

READ  É por isso que os gatos ronronam

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *