As algas Sargassum têm efeito na degradação do equipamento

As algas Sargassum têm efeito na degradação do equipamento

Madininair e a University of the West Indies iniciaram um projeto de pesquisa sobre corrosão de materiais metálicos devido aos filamentos de Sargassum. Resultados esperados pelos residentes de Guadalupe e Martinica após a deterioração precoce de muitos dispositivos eletrônicos


O projeto CORSAIR, Air and Marine Corrosion, é financiado pela National Research Agency e pela Martinique Regional Community. Nove parceiros do Caribe e da França continental trabalharão por três anos em três linhas de pesquisa: erosão atmosférica, erosão marinha e abordagem legal para degradação acelerada de materiais por corrosão.

A Agência Nacional de Pesquisa e diversas estruturas regionais e internacionais, como as comunidades ADEME, Guadalupe, Martinica e Guiana, além das agências brasileiras FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e FACEPE (Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco ) desejam ir além da fase de reação de emergência e se projetar em uma perspectiva de longo prazo.

As regiões costeiras da Martinica e Guadalupe, mas em geral o Mar do Caribe e o Golfo do México enfrentam um desenvolvimento maciço e descontrolado de algas Sargassum. As enormes cordas representam grandes problemas de saúde, econômicos e ambientais.

Alga marinha Sargassum em Fort-de-France (2019)



© JCS

O projeto CORSAIR faz parte integrante da convocatória “SARGASSUM” 2019. Esta iniciativa conjunta, a primeira do género no seio da comunidade científica e económica, deverá permitir a criação de uma comunidade de conhecimento e experiência de referência na temática do Sargassum.

Os nove parceiros responderam a um convite à apresentação de projetos, com o objetivo de dar soluções práticas a estes fios e enriquecer o conhecimento do fenómeno, do impacto dos compostos químicos resultantes da decomposição do sarcófago e do papel dos microrganismos na erosão dos materiais minerais . .

READ  Brexit. A perda da cidadania europeia pune os britânicos em viagem

Contribuição Medina

A Madininair instalou microssensores para medir sulfeto de hidrogênio e amônia, bem como medidores para avaliar os sais marinhos nas ramificações atmosféricas. Essas medições devem permitir aos pesquisadores compreender melhor o efeito dos compostos químicos produzidos pela decomposição do sargaço na corrosão de materiais metálicos.

O observatório da Martinica apóia pesquisadores na estratégia de estudo para vincular o fenômeno da degradação do material à qualidade do ar. Desde janeiro de 2021, medidas específicas foram feitas no ar circundante, e os compostos corrosivos resultantes da decomposição biológica de algas em 3 locais distintos: um local severamente afetado por filamentos, um local moderadamente afetado e um local no interior, longe das cadeias mas no qual uma degradação acelerada do material foi observada.

Laboratório da Universidade das Antilhas

Do lado da Universidade das Índias Ocidentais, o Laboratório de Materiais e Moléculas em Ambientes Agressivos (L3MA) da UFR STE (Science Technologies Environment), liderado por Christophe Ross, tem como objetivo estudar a corrosão atmosférica e marinha de materiais metálicos. L3MA realiza pesquisas que respondem a questões locais (na Guiana e agora nas Índias Ocidentais), enquanto mantém uma dimensão internacional. L3MA é o único laboratório francês que trabalha com inibidores de erosão natural da biodiversidade tropical. É também a única a oferecer consórcios de bactérias eletricamente ativas de ambientes bióticos da Amazônia e do Caribe.

Qual é a compensação?

O trabalho é monitorado por moradores afetados por derramamentos de algas nas costas. Em julho de 2016, uma missão governamental visitou as Índias Ocidentais. Tristan Florin, Inspetor Geral de Gestão, François Gerber, Engenheiro Geral de Pontes, Água e Florestas, e François Colas Pelco, Engenheiro Geral de Pontes, Água e Florestas, iniciaram um estudo de impacto para verificar a implementação em vez de um mecanismo financeiro para a gestão de risco Sargassum .

READ  O lento declínio nos hospitais continua

Espera-se que este novo estudo científico substitua os residentes do litoral. Os técnicos estudam sulfeto de hidrogênio, vapores de amônia e suas consequências para as instalações elétricas.

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *