As mudanças climáticas não foram um fator decisivo nos incêndios que mataram 133 pessoas no Chile

As mudanças climáticas não foram um fator decisivo nos incêndios que mataram 133 pessoas no Chile

Nem as alterações climáticas nem o El Niño desempenharam um papel decisivo nos incêndios florestais que mataram pelo menos 133 pessoas no início de fevereiro no centro do Chile, de acordo com um estudo realizado pela Organização Meteorológica Mundial (WWA) na quinta-feira.

• Leia também: Incêndios florestais no Chile: Canadá enviará reforços

• Leia também: Aquecimento global: 2024 começa com novos recordes

• Leia também: Chile: “extinguir” incêndios mortais na região de Valparaíso

A costa chilena “é um dos poucos lugares do mundo onde as alterações climáticas provocam uma ligeira diminuição das temperaturas médias anuais do ar”, devido ao fenómeno dos ventos fortes que empurram águas frias e profundas para a costa, explica esta rede internacional de cientistas. . Que avaliam a relação entre eventos climáticos extremos e mudanças climáticas.

Essa água fria “desloca as águas superficiais quentes”, resultando em temperaturas mais baixas ao longo da costa do que no interior do país ou no resto da América do Sul.

Os investigadores descobriram ainda que o El Niño, que aumenta a temperatura do Oceano Pacífico e provoca secas e inundações, “não teve um impacto significativo” nos incêndios.

Por outro lado, o estudo indicou que o uso indevido do solo teve impacto nos incêndios. “Em toda a área de estudo, o risco de incêndio é particularmente aumentado devido às atuais práticas de gestão de terras”, acredita ela, notando em particular “a conversão generalizada de explorações agrícolas indígenas em explorações agrícolas e monoculturas estrangeiras”.

Nas últimas décadas, aumentaram principalmente as monoculturas de pinheiros e eucaliptos, que são mais inflamáveis ​​que as plantas nativas.

Vários incêndios eclodiram simultaneamente no dia 2 de fevereiro em torno do balneário de Viña del Mar, muito perto de Valparaíso. As chamas varreram colinas densamente povoadas, matando pelo menos 133 pessoas e destruindo cerca de 7.000 casas.

READ  Afeganistão: Tirar fotos é um “grande pecado”, segundo um oficial do Taleban

As autoridades estão a investigar se estes incêndios foram iniciados intencionalmente ou por negligência.

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *