“As Olimpíadas são uma aventura maluca”, elogia Coralie Lassource após a qualificação dos Bleues nas quartas de final em Tóquio

“As Olimpíadas são uma aventura maluca”, elogia Coralie Lassource após a qualificação dos Bleues nas quartas de final em Tóquio

Coralie Lassource (capitã da seleção da França, vitoriosa sobre o Brasil por 29-22): “Tivemos que esperar até o último jogo do grupo para nos classificarmos, então estamos gostando. Sabíamos que o nosso destino estava cumprido neste jogo, demos tudo para não nos arrepender no final, e finalmente encontramos o verdadeiro jogo da seleção francesa. É muito bom poder me classificar. Demos tudo porque talvez fosse, para alguns, a última competição com a seleção da França e não queríamos terminar assim. As Olimpíadas são uma aventura maluca, não devemos nos arrepender no final. Sabemos muito bem que o mais difícil está por vir, que só subimos um pequeno degrau, mas acho que começamos bem e agora vai ser uma loucura. “

Océane Sercien-Ugolin (costas da seleção francesa): “Nós respiramos! É preciso saborear, mas ainda há um longo caminho a percorrer. Acho que começou com a gente, nos estreitamos, acreditamos em nós mesmos, fizemos o que tínhamos que fazer, com princípios básicos. Eu fiquei feliz por jogar com esta seleção francesa, prazer em voltar e finalmente trazer o que eu pude trazer, e mesmo que tenha pequenas feridas aqui e ali, para poder me expressar. Agora, seja na Noruega ou na Holanda (em quartos), se quisermos ganhar uma medalha, e a mais bonita, teremos que vencer todos. Não pretendo dizer que somos mais fortes do que eles, mas será uma partida acirrada, vamos sair da nossa pele e tudo é possível nas quartas de final. “

READ  10h55 - Covid no Brasil: aprovação de relatório condenatório para Bolsonaro

“Este jogo, fomos procurá-lo com a coragem”

Béatrice Edwige, pivô da seleção francesa

Cléopatre Darleux (goleiro da seleção francesa): “É a alegria, a alegria de uma nova equipe e desse coletivo que tínhamos perdido um pouco desde o início da competição. É um prazer finalmente entrar na competição. Conversamos muito, falamos um para o outro o que estava indo bem e o que não estava, ficamos realmente nus e isso nos fez o maior bem. Foi isso que nos fez lutar um pelo outro no chão e dar tudo o que temos, para que fôssemos um pouco mais liberados. Nós, as babás, temos uma posição muito importante. A média de gols sofridos antes desta partida não estava nos nossos hábitos, desde o início da competição não estávamos nela com “ Doudou ” (Amandine Leynaud). Partida após partida, estávamos nos perguntando muitas coisas. É uma pequena espiral negativa, conseguimos sair dela hoje (esta segunda-feira) e era a hora certa. “

Béatrice Edwige (pivô da seleção francesa) : “Estou cansado! Não fisicamente, mas emocionalmente. E isso é importante e me faz sentir bem. Estou feliz, orgulhoso da minha equipe. Por causa desta partida, fomos buscá-lo com a coragem. Tínhamos trabalhado no outro jogos, mas lá tivemos que fazer um pouco mais do que normalmente somos capazes de fazer em termos de trabalho de vídeo. Valeu a pena, estudamos muito bem. “

READ  Une nouvelle météorite brésilienne découverte via Facebook

Olivier Krumbholz (treinador da seleção francesa): “Estou aliviado, é claro, mas ainda mais feliz do que aliviado. Certamente tivemos o nosso melhor jogo com tudo, uma boa defesa, bons guarda-redes, jogadores que se expressaram bem, remates de longe, disciplina, tanto na defesa como no ataque … A equipa está lançada. Sem repassar tudo o que aconteceu meses atrás, mas o que aconteceu por três a quatro semanas, ainda chegamos em condições interessantes. As luzes estão verdes. As garotas certamente, com a performance, recuperaram a serenidade e a ambição. “

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *