Brasil: aumento de casos de malária no Amapá

Ligeira preocupação no Amapá, onde os casos de malária aumentaram em vários municípios, incluindo Oiapoque, cidade fronteiriça com a Guiana. As autoridades de saúde acabam de publicar um relatório preliminar que menciona um aumento de 6,7% em relação a 2021.


A Unidade de Monitoramento Ambiental da Superintendência de Vigilância Sanitária do Amapá (SVS-AP) alerta o governo federal para Amapá sobre esse ressurgimento de pacientes com malária entre maio de 2021 e maio de 2022. O número de casos caiu de 735 casos para 784. Ou 6,7% a mais em um ano.
O maior número de casos foi registrado nas áreas de mineração que são os municípios de Calçoene, Porto Grande, Pedra Branca e Oiapoque. Passamos de 242 casos de malária registrados em 2021, contra 362 neste ano.

Por outro lado no habitats nativosa redução de casos foi muito forte 88,89% menos casos.
As autoridades de saúde intensificaram a vigilância e a prevenção em áreas críticas.

Malakit, a solução para erradicar a malária da região

Na Guiana, a atualização epidemiológica semanal de 22 de julho mostrou que o projeto quase experimental Malakit, que consiste em distribuir kits de autodiagnóstico e autotratamento de malária para garimpeiros clandestinos em áreas de fronteira após treinamento, estava funcionando muito bem. Isso permitiu conter a doença e até mesmo acelerar a redução da incidência da malária na região em 42,9%.

Boletim epidemiológico semanal da Saúde Pública França

Certamente, no quadro da cooperação transfronteiriça, a Malakit poderá permitir lutar de forma mais eficaz com as populações que escapam aos habituais circuitos de saúde e em particular os garimpeiros ilegais.
Cabe lembrar que a França está comprometida com a eliminação da malária em seu território até 2025.

READ  Avaliação da pandemia | Mais de 2.847.000 mortos em todo o mundo

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *