Brasil: depois do Rio, carnaval de rua de São Paulo é cancelado

A prefeitura de São Paulo, maior metrópole da América Latina, anunciou nesta quinta-feira o cancelamento do carnaval de rua devido à retomada das contaminações da COVID-19 no Brasil, onde Rio de Janeiro e Salvador da Bahia também cancelaram essas festividades.

“O carnaval de rua de São Paulo está cancelado devido à situação epidemiológica”, disse o prefeito Ricardo Nunes em entrevista coletiva.

Assim como no Rio, que anunciou o cancelamento do carnaval de rua na terça-feira, as autoridades paulistas planejam manter os emblemáticos desfiles das escolas de samba.

“Vamos nos reunir com escolas de samba para estabelecer um protocolo de saúde. Se esse protocolo for respeitado, os desfiles acontecerão no Sambódromo ”, disse o vereador de São Paulo, megalópole de 12 milhões de habitantes.

Esses desfiles chamativos, com carros alegóricos monumentais, acontecem em um recinto onde é mais fácil controlar o público e possivelmente exigem um passe de saúde ou um teste COVID negativo, como em um estádio de futebol.

Mas muitas cidades brasileiras também são conhecidas pelo carnaval de rua, com os “blocos”, procissões de foliões reunidos aos milhares para acompanhar os grupos musicais.

Em algumas cidades, os blocos já começam a desfilar semanas antes das datas oficiais do carnaval, que acontece no final de fevereiro.

Antes de São Paulo, outras cidades brasileiras já haviam cancelado essas procissões.

Na segunda-feira, foi o caso de Salvador da Bahia, onde 16,5 milhões de pessoas fizeram festa na rua, um recorde, na última edição, em fevereiro de 2020.

Na quarta-feira, foi a vez de Olinda, outra cidade do Nordeste brasileiro, famosa por suas procissões com “bonecos” – gigantes que parecem os do carnaval de Dunquerque – cancelar o carnaval de rua, que reunia 3,6 milhões de pessoas há dois anos .

READ  Albânia, Brasil, Gabão, Gana e Emirados Árabes Unidos novos membros do Conselho de Segurança da ONU

O número de casos COVID-19 voltou a aumentar nos últimos dias no Brasil, com as comemorações do fim de ano e a chegada da variante Omicron.

O último relatório do Ministério da Saúde, datado da noite de quarta-feira, informa 27.267 contaminações em 24 horas, inéditas desde 30 de setembro (27.757).

Assista vídeo

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *