Brasil diz ao Sputnik, ajuda internacional chega à Índia

A ajuda internacional emergencial começou a chegar ontem à Índia, vencida por uma onda epidêmica de gravidade sem precedentes desde o início da crise global, à medida que o Brasil, outro dos países mais afetados, se opõe à importação da vacina russa Sputnik V.

Epicentro da pandemia de coronavírus por vários dias com uma variante “indiana” ainda mal identificada, o país mais populoso do planeta depois da China está registrando novos registros diariamente. Na segunda-feira, ele relatou um recorde mundial de 352.991 novas infecções e um recorde nacional de 2.812 mortes, resultando na primeira ajuda internacional em grande escala desde o início da crise de saúde. Pessoal de enfermagem e pacientes carecem de tudo: camas, macas, oxigênio, respiradores … “Este governo nos decepcionou tanto que quem costuma sobreviver também morre”, lamenta o morador Vinod Kumar. A situação na Índia é “mais do que dolorosa”, resumiu a Organização Mundial da Saúde (OMS), que forneceu equipamentos essenciais a este país de 1,3 bilhão de pessoas.

O primeiro carregamento de ajuda médica britânica, incluindo 100 ventiladores e 95 concentradores de oxigênio, pousou em Delhi ontem. Outros virão na semana. Até o final da semana, a França terá enviado oito unidades de produção de oxigênio e recipientes de oxigênio para abastecer até 10.000 pacientes por dia, além de equipamentos médicos especializados, como respiradores. . Os Estados Unidos se comprometeram a enviar componentes para produção de vacinas, equipamentos de proteção, testes de diagnóstico rápido e até respiradores. A UE deve enviar “nos próximos dias” um conjunto de equipamentos de emergência, no âmbito do seu mecanismo de protecção civil coordenado pela Comissão Europeia.

Suspensão de links aéreos

READ  A agência de notícias russa ironiza Pazuello: "bom em logística?"

A variante “indiana” ainda levanta questões. Segundo a OMS, ainda não se sabe se “os relatos de alta mortalidade se devem ao aumento da gravidade da variante, ao desgaste da capacidade do sistema de saúde devido ao rápido aumento do índice de mortalidade. Número de casos ou ambos. ”Esta variante foi detectada na Bélgica, Suíça, Grécia e Itália, à medida que vários países da Europa começaram a afrouxar cuidadosamente o estrangulamento das restrições à sua população.

Ao mesmo tempo, a lista de restrições de voos está crescendo. A Austrália decidiu ontem suspender os voos da Índia até 15 de maio, enquanto Canadá, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Nova Zelândia já suspenderam ou restringiram seus voos. A Bélgica anunciou o fechamento de suas fronteiras com a Índia, mas também com o Brasil e a África do Sul, onde duas outras variantes são abundantes.

“Incertezas” brasileiras no Sputnik

As campanhas de vacinação continuam da melhor maneira possível no mundo, gerando disputas entre países e laboratórios sobre entregas ou entre países, ou mesmo entre Estados de um mesmo país, sobre a origem das vacinas. A agência reguladora de saúde do Brasil (Anvisa), o segundo país mais enlutado do mundo (391.936 mortes) e onde a vacinação se arrasta há muito tempo, se opôs nesta segunda-feira ao pedido de vários estados do país para importar a vacina russa Sputnik V. “Jamais permitiremos que milhões de brasileiros sejam expostos a produtos sem a devida verificação da qualidade, segurança e eficácia, ou, no mínimo, diante da grave situação que enfrentamos. Vejamos que existe uma relação favorável entre o risco e os benefícios ”, disse Antonio Barra Torres, presidente da Anvisa. A gestão da agência seguiu a recomendação de seus especialistas ao apontar“ incertezas ”sobre a vacina que ainda não foi aprovada pelos órgãos de saúde do União Europeia (EMA) e Estados Unidos (FDA) .Os criadores da vacina russa denunciaram ontem a recusa, segundo eles “política”, do regulador brasileiro, que “nada tem a ver com acesso à informação ou ciência “.

READ  Brasil: justiça proíbe invocação do "crime de honra" para feminicídios

Enquanto isso, nos Estados Unidos, os americanos vacinados contra a Covid-19 não precisam mais usar máscaras quando estão ao ar livre, exceto quando estão em multidões, disseram ontem autoridades de saúde. . Os Estados Unidos vão fornecer a outros países 60 milhões de doses da vacina AstraZeneca, anunciou a Casa Branca, até então criticada por se recusar a importar a vacina do laboratório sueco-britânico, ainda não autorizada no país.

Finalmente, deve-se notar que a marca de um bilhão de doses de vacinas Covid administradas em 207 países ou territórios foi ultrapassada no último fim de semana. O vírus matou pelo menos 3.122.150 pessoas em todo o mundo desde que o escritório da OMS na China relatou seu início no final de dezembro de 2019.

Fonte: AFP

A ajuda internacional emergencial começou a chegar ontem à Índia, vencida por uma onda epidêmica de gravidade sem precedentes desde o início da crise global, já que o Brasil, outro dos países mais afetados, se opôs à importação da vacina russa Sputnik V. Epicentro de a pandemia de coronavírus por vários dias com uma variante …

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *