Brasil diz que proposta de taxar os super-ricos está ganhando terreno e buscará declaração do G20 em julho

Brasil diz que proposta de taxar os super-ricos está ganhando terreno e buscará declaração do G20 em julho

O ministro da Fazenda brasileiro, Fernando Haddad, disse nesta quarta-feira que a proposta de taxar os super-ricos, apresentada pelo país durante sua presidência do G20, está “ganhando terreno” e que, em um mundo marcado por tensões geopolíticas, esta medida poderá reunir consenso com vista à construção de um futuro comum melhor.

Falando à margem das reuniões de primavera do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial, sublinhou que o G20 procuraria um consenso internacional sobre a tributação da riqueza e discutiria uma declaração conjunta na próxima reunião do grupo, em julho.

“A declaração do G20 que vamos propor visa apoiar politicamente estas iniciativas”, disse, acrescentando que seria crucial que os ministros das finanças das maiores economias estivessem na mesma página.

Seu homólogo francês, Bruno le Maire, que já havia manifestado apoio à proposta brasileira, declarou nesta quarta-feira, durante participação no mesmo evento, que Paris apoiava plenamente a ideia de tributar os mais ricos.

Entretanto, a Diretora do FMI, Kristalina Georgieva, insistiu que o foco fosse a colmatação das brechas fiscais.

Haddad disse anteriormente à Reuters que o jantar de trabalho do G20 na quarta-feira discutiria como os fundos arrecadados através da nova rota tributária poderiam ajudar a combater a fome e a transição para uma economia mais sustentável. mais verde.

Haddad também mencionou que a presença da economista ganhadora do Prêmio Nobel Esther Duflo no jantar serviria justamente para esse propósito, depois que o Brasil inicialmente convidou Gabriel Zucman, diretor do Observatório Fiscal Europeu, para participar da elaboração de um relatório sobre o tema, que Haddad disse que deveria estar pronto para a próxima reunião financeira do G20 em julho.

READ  Brasil: a descoberta de um tesouro de 9 mil anos pode reescrever a história da colonização do país

“Se chegarmos a um consenso sobre isso até o final do ano, será algo extraordinário… é histórico”, disse ele.

Zucman sugeriu que uma possibilidade seria garantir que os muito ricos pagassem pelo menos o equivalente a 2% da sua riqueza em imposto sobre o rendimento todos os anos, o que, segundo ele estimou, poderia gerar 250 mil milhões de dólares. dólares por ano, ou metade da receita anual considerada necessária para os países em desenvolvimento enfrentarem os desafios das alterações climáticas.

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *