Brasil: ex-ministro da Saúde critica gestão de crise de Jair Bolsonaro

Brasil: ex-ministro da Saúde critica gestão de crise de Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro está sob o fogo da crítica. Enquanto uma comissão de investigação do Senado examina sua gestão da crise de saúde no Brasil, o ex-ministro da saúde culpa o governo brasileiro.

Luis Henrik Mendetta foi testado na terça-feira, 4 de maio, por senadores. Ex-ministro da Saúde, foi demitido em março de 2020 por Jair Bolsonaro, por defender os gestos de barreira, distância física, máscara e confinamento, aos quais o presidente brasileiro sempre se opôs, apesar da deterioração da saúde no Brasil.

“Ele começou dizendo que se tivesse que escolher entre saúde e economia, ele escolheria economia”, disse o ex-ministro. Ele estabeleceu todas as condições para que não haja contenção, e essa contenção é difícil de impor. Aproveite para criar divisões. Isso é exatamente o que o vírus adora. Ele alega que é um pouco de gripe … e isso é responsabilidade dele “, diz ele.

O ex-ministro disse aos investigadores que “recomendou explicitamente” a Jair Bolsonaro uma mudança de estratégia no enfrentamento do vírus, alertando-o sobre a fragilidade do sistema de saúde e a possibilidade de sua saturação em caso de surto da epidemia. “O Brasil poderia ter feito um trabalho melhor. Poderíamos ter começado a vacinação em novembro”, admite.

Crimes de negligência?

O presidente de extrema direita, que já se opôs aos gestos de barreira, nunca foi tão favorável às vacinas contra a Covid-19. Ele já confirmou inúmeras vezes que não quer a vacinação, zombando de seus possíveis efeitos colaterais, como se tornar um crocodilo. As negociações com vários laboratórios produtores de vacinas estão pendentes há muito tempo. O presidente também é acusado de rejeitar várias ofertas de empresas farmacêuticas, incluindo uma oferta de 70 milhões de doses feita pela Pfizer em agosto de 2020. Hoje, a campanha de vacinas está desacelerando devido à escassez de doses.

READ  OM se esforça por Gerson ... mas o Real Madrid está acelerando

Com o surto no Brasil, acelerado pela alternativa brasileira mais contagiosa, com a saturação dos hospitais e a falta de oxigênio em várias regiões, a política de saúde de Jair Bolsonaro ficou gravemente questionada. Por isso, em abril passado, o Supremo Tribunal Federal autorizou a formação dessa comissão parlamentar de inquérito. Terá de determinar se o governo cometeu crimes de negligência ou corrupção, caso em que pode ser iniciada uma ação judicial contra o presidente ou os ministros.

A comissão de inquérito de alto risco de Jair Bolsonaro, um ano antes da eleição presidencial, é onde ele provavelmente enfrentará o famoso e esquerdista ex-presidente Lula, novamente elegível depois que sua condenação for anulada.

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *