Brasil: popularidade do Bolsonaro é baixa

Brasil: popularidade do Bolsonaro é baixa

A popularidade do presidente Jair Bolsonaro caiu para o nível mais baixo em quase três anos de mandato, com apenas 22% de opiniões positivas, segundo pesquisa do Instituto Datafolha nesta quinta-feira.

Apenas 22% dos questionados consideram a administração do presidente de extrema direita como “boa” ou “muito boa”, em comparação com 24% em julho, de acordo com esta primeira pesquisa publicada após grandes manifestações que Bolsonaro convocou em 7 de setembro para reunir seus partidários .

O percentual de opiniões negativas subiu para 53%, ante 51% em julho e 45% em maio, na pesquisa deste instituto de benchmarking com 3.667 pessoas, de 13 a 15 de setembro.

A taxa de reprovação é maior entre negros (59%), jovens de 16 a 24 anos (59%) ou gays (61%), enquanto o presidente obtém opiniões mais favoráveis ​​entre os evangélicos (29%) ou líderes empresariais (38%). )

Muitas críticas por sua gestão da pandemia COVID-19, que matou mais de 588.000 pessoas no Brasil, Jair Bolsonaro, que assumiu o poder em janeiro de 2019, vem realizando pesquisas de opinião desfavoráveis ​​há vários meses.

A situação econômica no Brasil também se deteriorou, com alta da inflação e uma crise de energia causada por uma seca histórica.

Ele também é alvo de várias investigações abertas a pedido do Supremo Tribunal Federal, uma por divulgação de informações falsas e outra após ser acusado de fazer vista grossa a suspeitas de corrupção na compra de vacinas.

Nas últimas pesquisas de opinião sobre a eleição presidencial de 2022, ele foi em grande parte o perdedor para o ex-presidente de esquerda Luís Inácio Lula da Silva, caso este decidisse se candidatar novamente.

Bolsonaro, sob cerco, tentou apostar tudo chamando seus partidários para protestos em massa em seu apoio em todo o país em 7 de setembro, feriado nacional do Brasil.

READ  Covid-19: O Peru ultrapassa o limite de 200.000 mortes

Plusieurs dizaines de milliers de personnes são descendentes dans les rues, mais sans l’affluence record dont rêvait le chef de l’État: selon la police de São Paulo, 125 000ants étaient sur l’avenue Paulista, alors qu’il en attenda ” Dois milhões”.

Em discursos inflamados em São Paulo e Brasília, Jair Bolsonaro atacou com veemência o Supremo Tribunal Federal e mais uma vez criticou o sistema de votação eletrônica.

Mas dois dias depois, quando a crise institucional estava no auge, ele se retratou garantindo que suas declarações “fortes” fossem feitas “no calor do momento”.

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *