Brasil rumo a novo recorde de safra de grãos

Brasil rumo a novo recorde de safra de grãos

O Brasil se prepara para colher quantidades recordes de soja, milho e outros grãos, graças ao aumento da área plantada e à explosão da demanda, principalmente da China.

O maior produtor mundial de soja e o terceiro maior produtor mundial de milho teve um início lento devido às secas nos principais países do cinturão de grãos, mas alcançou uma safra abundante graças às ótimas condições climáticas desde então.

“A safra de cereais no Brasil continua em ritmo recorde, com crescimento de 16,8 milhões de toneladas, ou + 6,5%, em relação à safra passada”, disse quinta-feira a Empresa Nacional de Abastecimento Agropecuário (CONAP) em sua última atualização.

Para a safra 2021, os produtores de grãos brasileiros ampliaram a área total de plantio em 3,9%, ou 68,5 milhões de hectares a mais.

Com 135,5 milhões de toneladas, a safra da soja deve atingir um recorde de alta de + 8,6% em relação ao ano passado, que já era recorde.

O milho também deve bater um recorde, com produção esperada de 109 milhões de toneladas, alta de 6,2%.

Trabalhando lado a lado, fileiras de ervas daninhas traçam enormes linhas brancas em campos dourados, colhendo um mar de soja sob um céu azul brilhante.

– Apetite chinês –

Grande parte da safra brasileira dessas leguminosas irá para a China, que as consome em abundância para alimentar seus porcos.

“Graças ao bom tempo, tivemos uma produtividade excelente. Os preços também estão muito altos, muito mais altos do que nos anos anteriores”, disse à AFP o produtor de grãos Adroaldo Rosato.

Os preços das commodities alimentares atingiram níveis recordes nos mercados globais após sua queda devido à pandemia do Coronavirus no ano passado, impulsionados pelo apetite da China, que viu sua economia retornar em um ritmo constante.

READ  HBO celebra 10 anos de "Game of Thrones" com grande fanfarra

Pequim também é um grande importador de petróleo, cobre, minério de ferro e carvão.

Essa tendência leva alguns analistas a questionar se o mundo não está no início de um novo “ciclo das super commodities”.

Mas pode ser muito cedo para dizer, diz Warren Patterson, chefe de estratégia de commodities do ING: “Se quisermos ver o início de um novo superciclo, o crescimento robusto da demanda que estamos vendo na China deve ser permanente por muitos anos.”

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *