Brasil: Setor de mineração critica projeto apoiado por Bolsonaro

Grandes mineradoras, incluindo multinacionais, que operam no Brasil criticaram nesta terça-feira um projeto de lei apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro que planeja legalizar as atividades de mineração em terras indígenas na Amazônia.

• Leia também: Brasil: Bolsonaro quer minas na Amazônia devido à escassez de fertilizantes na Rússia

• Leia também: Sobe para 146 o número de mortos no Brasil em Petrópolis

O Instituto Brasileiro de Mineração (ABRAM), cujos 120 sócios respondem por 85% da produção mineira do país, disse em nota à imprensa que este projeto de lei não permite “adequadamente” regular as atividades do setor nessas áreas e pediu mais discussão.

“Esta regulamentação deve ser objeto de debate em toda a sociedade brasileira, (envolvendo) os próprios povos indígenas em particular, em relação aos seus direitos constitucionais”, escreveu o instituto em seu comunicado.

Teme-se que o debate sobre essa lei seja abreviado, já que a Câmara dos Deputados votou na semana passada sobre a medida expedita.

Com essa medida emergencial, o projeto pode ser votado no plenário no próximo mês, sem passar por comissões. Então o Senado tem que analisar.

Para o presidente Bolsonaro e seus aliados, essa urgência se justifica pela necessidade de explorar reservas de potássio nas terras indígenas da Amazônia para suprir a potencial escassez de fertilizantes importados da Rússia devido ao conflito na Ucrânia.

O Brasil importa mais de 80% de seus fertilizantes, segundo dados do Ministério da Agricultura. Seu principal fornecedor é a Rússia, responsável por 20% dessas importações.

Mas os críticos do projeto dizem que é uma “desculpa”, pois estudos mostraram que a grande maioria das reservas de potássio do Brasil está fora das terras indígenas.

READ  Alexander Wang comes out after the sexual assault allegations are denied

Vários milhares de manifestantes responderam, na última quarta-feira, ao chamado do famoso cantor Caetano Veloso e outros artistas em Brasília para protestar contra a pressão do presidente Bolsonaro e seus aliados no Parlamento para concordar com uma marcha forçada de leis condenadas, segundo eles, à “destruição do ambiente.” .

Para o Ibram, que reúne multinacionais como Vale, Rio Tinto ou Anglo American, “a exploração de mineração industrial pode ser viável em todo o território brasileiro”, desde que “a vida e o meio ambiente, principalmente na região amazônica, sejam evitados e a remoção de florestas .

No final de fevereiro, um relatório da ONG Amazon Watch acusou gigantes da mineração de tentar expandir suas atividades na região amazônica, com bilhões de dólares em financiamentos de bancos internacionais e fundos de investimento. Valle, Rio Tinto e Anglo American negaram as acusações.

You May Also Like

About the Author: Echo Tenny

"Evangelista zumbi. Pensador. Criador ávido. Fanático pela internet premiado. Fanático incurável pela web."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *