Buscadores de ódio vêm à tona

Atualmente, estamos testemunhando um aumento vertiginoso daqueles que buscam o prazer do ódio.

Este último explode por trabalhar em tempo integral nas redes sociais, já que muitas vezes são covardes e covardes que recorrem ao anonimato.

Eles costumam usar notícias falsas para se justificar. Como exemplo pessoal, enquanto estava encarcerado em Quebec por quase um ano, fui acusado de me esconder na Flórida em meu apartamento que alguns descreveram como uma cópia de Mar-a-Lago, a droga espalhafatosa de Trump a Palm Beach.

Cobranças

Vários leitores me acusaram de violar as diretrizes das autoridades para ser vacinado antes de outras pessoas. No entanto, sabemos que em poucas semanas, um envelhecimento foi destaque na mídia. “Parabéns pela vacinação!” Disse uma mulher com veemência. Eu respondi: “Não há parabéns por envelhecer”.

Há uma semana, foi a vez de Christine Saint-Pierre, a deputada liberal da Acádia, ser enterrada sob insultos por ter recebido a vacina que, claro, merecia em virtude da sua idade. Mas os políticos são os principais alvos de frenesi de todos os tipos.

Além disso, difusores de ódio ao longo dos anos tornaram-se coveiros em seu próprio caminho de democracia. Eles poluem nossas instituições. Pode-se dizer que não é exagero dizer que esses milhares de pessoas representam uma nova epidemia. Porque sua retórica obscena e raivosa apaga o discurso público.

Retiro

Recrutar novos políticos tem sido problemático por muitos anos. Quem são as pessoas que agora querem entrar na política para serem atacadas pessoalmente? Para fazer sofrer suas famílias com as repercussões dos insultos que lhes são infligidos? Enfrentar os bandidos que vão desafiá-los, denunciá-los francamente e ameaçá-los com palavras que matam?

READ  Demonstração de 1º de maio | Dezenas de prisões em Istambul

Tomemos, por exemplo, o prefeito de Verdun, Jean-François Barento, que transformou sua cidade com grande sucesso atraindo jovens urbanos entusiasmados que querem viver perto do rio.

Ele abandona a política.

Ele não pode mais tolerar cidadãos corruptos, detratores e vilões que têm sua própria pele e que estão esperando, supomos, pelo próximo que ouse ser eleito para o conselho municipal.

Ficamos sem palavras perante as repercussões desta pandemia, que vem revelando o melhor das pessoas, mas também o pior da humanidade. Em suma, essa epidemia pode ser comparada à guerra. Além dos mortos e doentes, existem todos os tipos de deficientes.

Também descobrimos a verdadeira natureza de nossos amigos. Os que queremos encontrar, mas outros que não queremos mais ver. A mídia social tem mostrado que tem tanto ódio, maldade e falta de modéstia que muitos agora se esquivam de suas atrações. Ninguém sairá ileso do confinamento sucessivo para enlouquecer.

Os crédulos perderam suas ilusões e os caçadores de ódio vieram à tona. Vamos ficar mais desconfiados e ser mais seletivos em nossas emoções. Porque agora sabemos que o mal anda de mãos dadas com a amizade. Mas os heróis também estão lá. É nosso consolo.

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *