“Cabe ao povo haitiano assumir o controle soberano sobre o país”, disse um sociólogo.

“Cabe ao povo haitiano assumir o controle soberano sobre o país”, disse um sociólogo.


tempo de leitura : 4 Minutos

[ENTREVUE EXPRESS]

Quem é o :

Estudante de doutorado em sociologia na Universidade de Ottawa, professor assistente e membro do Grupo de Pesquisa sobre Imigração e Racismo (COMIR) e da Coalizão Haitiana no Canadá contra a Ditadura no Haiti, Walner Osna é especialista em questões do Haiti, seu país da origem.

Contexto:

À luz de uma destilação econômica internacional, o estado caribenho está passando por uma crise institucional, econômica e social de tamanho crítico. Com o apoio das grandes potências, o presidente Jouvenel se apega ao poder, mas perdeu a confiança dos haitianosE a Foi deixado por sua própria conta e lei de gangues.

o desafio :

A urgência é o retorno da calma e segurança a todos os cidadãos. Passo essencial para relançar a economia e o trabalho democrático. Será necessário passar pelo oposto de autoridade? Sim, de acordo com este especialista e ativista de direitos humanos.

« De onde se originou a crise no Haiti?

É uma condição complexa e estrutural. É o resultado da hegemonia americana que remonta ao século XX com a ocupação do país de 1915 a 1934. Depois de 1986, apesar dos ganhos políticos e sociais, nunca conseguimos estabelecer um regime que se apoderasse das reivindicações populares e do governo. Ideais da Revolução Haitiana. Ao contrário, o país seguia um modelo neoliberal que agravava a situação socioeconômica. Este domínio dos Estados Unidos continua até hoje por razões geopolíticas e econômicas porque o país é desejável por seus recursos naturais.

Quais são as atuais condições de vida no Haiti?

A situação deteriorou-se muito rapidamente nos últimos quatro anos. Mais de quatro milhões de pessoas lutam para obter alimentos, água e habitação social. Vivemos em um contexto de corrupção generalizada, criminalização e insegurança planejada, que afeta profundamente a vida do povo haitiano. As pessoas estão com medo. Questões prioritárias como pobreza, segurança e infraestrutura não foram abordadas. As gangues armadas ilegais realizam sequestros sem interferência da polícia.

READ  Sepp Blatter - "Eles não me queriam do lado do céu"

Por que falhar a autoridade existente na avaliação do país?

O sistema existente está pronto para fazer o melhor para salvaguardar os interesses dos Estados Unidos e do grupo principal (formado por embaixadores da Alemanha, Brasil, Canadá, Espanha, Estados Unidos, França, etc.). São eles que sempre conseguem estabelecer um sistema que sirva cegamente aos seus interesses. Foi assim que chegamos ao Sistema Martelly (Presidente de 2011 a 2016). Relatórios do Senado e da Suprema Corte posteriormente demonstraram como este foi um dos regimes mais corruptos da história do Haiti, especialmente com o saque generalizado de fundos do Petrocaribe.

O que aconteceu com os US $ 3,8 bilhões conquistados pela Petrocaribe, essa aliança entre as nações caribenhas e a Venezuela? Eles não pretendiam financiar programas sociais?

Os fundos foram desviados. Mas Petrocaribe não é apenas uma pilhagem de poder. É também o resultado de conluio internacional para impedir a implementação deste acordo, pois qualquer cooperação ou solidariedade entre países latino-americanos levanta a questão sobre as relações que o Haiti mantém com os Estados Unidos, França, Canadá e organismos internacionais como o Monetário Internacional Fundo (Fundo Monetário Internacional), que não alcança nenhum impacto positivo nas classes. Nesse sentido, o fracasso da Petrocaribe é uma forma de colonialismo.

Walner Osna observou Cuidadosamente Crise do Haiti de Ottawa. polidez

Qual é a estratégia do sistema existente? Existe o risco de deriva autoritária?

O interesse do presidente é perpetuar o sistema de impunidade e injustiça, mudando a constituição por referendo. Um artigo afirma que o presidente, mesmo após o seu mandato, não pode ser processado por atos cometidos no exercício de suas funções. Isso permitiria que ele escapasse da justiça por seus massacres. É claro que ele seguiu o caminho de uma instituição ditatorial, desde o dia 7 de fevereiro, mantendo-se no poder quando terminou seu mandato.

READ  Sertão, o "polígono da seca" e o maldito reino da terra do Brasil

Como sair deste atoleiro geopolítico e restaurar a esperança aos haitianos?

Cabe ao povo haitiano assumir o controle soberano sobre seu país, por amplo consenso. Só um governo de transição suspenso poderá criar as condições para um retorno à justiça social, a um clima de paz e confiança. Precisamos repensar as políticas econômicas que criaram a pobreza e roubaram os camponeses em favor dos megaprojetos. Devemos também restaurar a soberania sobre recursos, energia e alimentos, bem como os costumes para limitar a importação de armas. O sistema judicial deve ser independente para que o culpado seja julgado de acordo com a lei. As pessoas entenderam isso e estão direcionando cada vez mais avisos aos políticos.

Existem sinais positivos de tal mudança?

Sim, existem bons sinais. As pessoas se revoltaram contra a ideia de um referendo constitucional e a Europa tinha reservas sobre esse projeto. Ainda estou otimista de que a mobilização popular derrotará esse sistema. Essa mobilização deve continuar no Haiti, mas também aqui, no Canadá, para criar uma opinião crítica na sociedade canadense, porque são os impostos dos cidadãos canadenses que financiam, por exemplo, a polícia haitiana que atualmente está se transformando em uma milícia governamental. O Canadá não pode reivindicar ser uma democracia e, ao mesmo tempo, apoiar um regime ditatorial. “

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *