COVID-19: China registra novos casos da variante Omicron

Pequim | A China relatou na segunda-feira novos casos da variante Omicron altamente contagiosa do COVID-19, já que o país enfrenta vários surtos menos de um mês após os Jogos Olímpicos de Pequim.

• Leia também: Jogos Olímpicos: Riscos de cancelamento ‘muito baixos’

Desde o início da epidemia, as autoridades implementaram uma estratégia “zero COVID”, que consiste em fazer todo o possível para limitar ao máximo o surgimento de novos casos.

No entanto, saltos esporádicos vêm ocorrendo regularmente nos últimos meses, e o país está redobrando sua vigilância à medida que os Jogos Olímpicos de Inverno (4 a 20 de fevereiro) se aproximam.

Em Xi’an (norte), 13 milhões de pessoas entraram na terceira semana de confinamento, uma medida tomada depois que dezenas de casos surgiram no final de dezembro.

E desde este fim de semana, um novo surto alarmou as autoridades em Tianjin, uma grande cidade portuária a cerca de 100 quilômetros a sudeste de Pequim.

Vários casos neste fim de semana estão ligados à variante Omicron, que foi detectada pela primeira vez na China no mês passado na mesma cidade. E 21 novos casos de COVID foram anunciados na segunda-feira em Tianjin, com a variável em questão não conhecida no momento.

Cerca de 14 milhões de pessoas estão sendo instadas a ficar em casa, enquanto uma triagem em massa de moradores está em andamento.

A Câmara Municipal disse que desde domingo os residentes só podem sair da cidade com uma autorização especial e um teste de despistagem negativo por menos de 48 horas. “Os moradores não devem deixar Tianjin a menos que haja uma razão convincente”, disse ela em comunicado no domingo.

READ  Espera-se que a neve salve após os devastadores incêndios florestais no Colorado

Todas as escolas foram fechadas e as ferrovias com Pequim foram suspensas.

A cerca de 400 quilômetros a sudoeste, a cidade de Anyang, na província central de Henan, relatou dois casos de omicron ligados ao surto de Tianjin na segunda-feira. O distrito posteriormente anunciou que examinaria seus 5 milhões de habitantes.

A venda de passagens para trens e ônibus de longa distância de Anyang foi suspensa e postos de controle foram montados em todas as rodovias fora da cidade para conter a propagação do vírus no país.

A China, onde os primeiros casos de COVID foram detectados há dois anos em Wuhan (centro), controlou amplamente a epidemia em seu território.

A vida quase voltou ao normal desde a primavera de 2020, e o país registrou oficialmente apenas duas mortes em mais de um ano.

para ver também

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *