COVID-19: O Conselho Científico levanta o espectro de uma epidemia de bronquiolite “generalizada”

COVID-19: O Conselho Científico levanta o espectro de uma epidemia de bronquiolite "generalizada"

No hemisfério norte, a vacinação parece estar provando seus efeitos em face da Covid-19 e parece que as restrições introduzidas no ano passado já ficaram para trás. Mas os gestos das extremidades septais também levantam preocupações sobre uma epidemia de bronquiolite. Porque depois de serem abrigados pela Covid, os países do hemisfério norte se preparam para este inverno para o retorno dessa doença respiratória que atinge as crianças e às vezes pode levá-las ao hospital.

O conselho científico que dirige o governo francês alerta que “a epidemia de bronquiolite pode ser significativa”. No inverno passado, confinamentos e gestos de barreira anti-Covid também preveniram outros vírus, incluindo RSV (vírus sincicial respiratório), que é responsável pela bronquiolite. As crianças estavam menos infectadas do que o normal e, portanto, tinham imunidade mais baixa. Assim, o Conselho Científico francês observa “um déficit significativo na imunidade de rebanho adquirida para crianças nascidas após março de 2020”.

>> Ler também – Rumo a uma epidemia maior de bronquiolite neste inverno?

Residentes de Sydney respiram

Os residentes de Sydney estão saindo na segunda-feira, 11 de outubro, após quase quatro meses de contenção estrita, que foi emitida na maior cidade da Austrália para prevenir a epidemia de Covid-19. Nesta cidade de cinco milhões de habitantes, o confinamento foi decidido no verão para evitar a propagação do tipo delta do coronavírus altamente contagioso. Ela foi suspensa após 106 dias de restrições, em vista da redução da poluição – 477 casos foram registrados no domingo em New South Wales, o estado mais populoso do país – e do progresso da vacinação, com mais de 70% da população com mais de 16 anos totalmente vacinada. .

READ  Brasil. Três lições de uma derrota institucional e política

No lado da Malásia, as restrições aos viajantes vacinados foram amenizadas. Isso está relacionado às restrições que existiam na época que se aplicavam a viagens dentro e fora de suas fronteiras. No domingo, 10 de outubro, ela disse que as autoridades da Malásia tomaram essas medidas devido à desaceleração da epidemia e ao alto índice de vacinação. O país tem estado nas garras da pior onda de Covid-19 nos últimos meses, levando as autoridades a imporem uma contenção estrita em todo o território. O país, com uma população de cerca de 32 milhões, viu mais de 2,3 milhões de casos e quase 27.000 mortes por Covid-19.

>> TAMBÉM LEIA – Quatro meses depois, Sydney está (finalmente) fora do confinamento

Mais de 4,84 milhões de mortos desde dezembro de 2019

A pandemia já matou pelo menos 4.843.739 pessoas em todo o mundo desde o final de dezembro de 2019, de acordo com um relatório preparado para domingo, 10 de outubro. Mais de 237,4 milhões de casos foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia. A grande maioria dos pacientes se recupera, mas a parte que não é bem avaliada retém os sintomas por semanas ou até meses. Os Estados Unidos são o país mais afetado por esta pandemia com 713.224 mortes, seguidos pelo Brasil (60.1011), Índia (450.589), México (281.958) e Rússia (216.415). A Organização Mundial da Saúde estima, levando em consideração o aumento de mortes direta e indiretamente relacionadas à Covid-19, que o desfecho da epidemia pode ser duas a três vezes maior.

Finalmente, o pai da bomba atômica do Paquistão, Abdul Qadeer Khan (o herói nacional de seus fãs), morreu aos 85 anos, disseram as autoridades paquistanesas, tendo testado positivo para Covid-19 e foi hospitalizado várias vezes desde agosto.

READ  Desastres naturais: Estados Unidos e Índia lideram em maio

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *