Covid-19: Putin se isola e confia no Sputnik V

Moscou | Na terça-feira, o presidente russo revelou que teve que se isolar e cancelar sua participação em várias cúpulas após entrar em contato com um colaborador que estava doente com o vírus Covid-19, dizendo que estava contando com a vacina do Sputnik para escapar do doença.

• Leia também: Síria: Putin critica a interferência estrangeira ao dar as boas-vindas a Assad

• Leia também: Russos nas urnas após eliminação da oposição

O anúncio vem como um mestre do Kremlin que apenas recentemente retomou os eventos em público. Até algumas semanas atrás, a grande maioria de seus compromissos eram por vídeo-link e as poucas pessoas que puderam conhecê-lo tiveram que passar por um período de isolamento.

Ele recebeu o presidente sírio Bashar al-Assad em Moscou na segunda-feira.

Putin, que apareceu na televisão em uma reunião de vídeo com líderes do partido Rússia Unida no poder antes das eleições legislativas marcadas para esta semana, confirmou que um de seus assessores, apesar de ter sido vacinado, havia contraído a doença de Covid.

“Ele foi revacinado, mas é claramente tarde demais. Três dias após a vacinação, ele adoeceu. No dia anterior, estive em contato próximo com ele o dia todo”, continuou Putin.

“Espero que tudo corra como deveria e que o Sputnik V realmente mostre um alto nível de proteção contra COVID-19”, disse Putin, que foi vacinado em março. Ele disse que tinha um nível “alto” de anticorpos.

Na manhã desta terça-feira, o Kremlin anunciou “casos de coronavírus na comitiva” de Vladimir Putin, forçando-o a aderir a um “sistema de auto-isolamento por um determinado período”.

Questionado sobre se o presidente russo de 68 anos havia feito o teste e o resultado era negativo, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, respondeu: “Claro, sim. O presidente está bem de saúde.”

READ  O terceiro maior diamante do mundo foi encontrado em Botswana

Ele acrescentou que “o isolamento não afetará diretamente o trabalho do presidente” e que as reuniões serão realizadas por meio de um link de vídeo.

Portanto, o chefe de estado russo não participará pessoalmente na quinta e na sexta-feira de duas cúpulas regionais no Tajiquistão, a Cúpula da Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC) e a Organização de Cooperação de Xangai (SCO).

dispositivo estrito

A Rússia é um dos países do mundo onde a epidemia já ceifou o maior número de vidas e a vacinação, em meio à desconfiança das autoridades, está ficando para trás. O país tem estado particularmente em luto devido à variante delta, que vem causando estragos desde junho.

De acordo com a agência de estatísticas Rosstat, cerca de 350.000 russos morreram de COVID-19 até o final de julho de 2021. De acordo com as estatísticas de Gogov, apenas 27,3% dos russos foram totalmente vacinados até agora.

Desde o início da pandemia COVID-19, as autoridades russas implantaram um dispositivo estrito com o objetivo de evitar que o mestre do Kremlin entre em contato com o vírus.

E então ela disse à mídia russa que as pessoas que provavelmente entrariam em contato com ele – autoridades políticas, mas também pessoal de serviço – tinham até recentemente que passar 14 dias em quarentena de hotel e fazer verificações regulares.

Também foi instalado um sistema de desinfecção airlock que pulveriza os produtos para visitantes autorizados.

Putin retomou recentemente suas viagens à Rússia e se reúne em público, na maioria das vezes trabalhando por vídeo, e reuniões transmitidas diariamente pela televisão.

Mas na segunda-feira ele se encontrou cara a cara com os atletas paraolímpicos que voltavam de Tóquio.

READ  A paraplegic Hong Kong athlete in a wheelchair climbs a skyscraper

De acordo com fotos da RIA Novosti, foi então considerado possível que ele logo teria que se isolar, mas o porta-voz do Kremlin imediatamente confirmou que o presidente falava “em sentido figurado”.

No início da epidemia, em março de 2020, Vladimir Putin estava em estreito contato, sem máscara, com o médico-chefe de um dos principais hospitais que tratam pacientes com coronavírus. O Dr. Denis Protsenko anunciou, logo depois que Covid o alcançou.

Vários altos funcionários russos adoeceram, incluindo o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, o primeiro-ministro Mikhail Mishustin e vários ministros.

Para ver também …

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *