Cuomo deixa os democratas sem escolha

Já faz algum tempo que estou interessado nas voltas do governador de Nova York, Andrew Cuomo. Se em março eu estava preocupado com o tratamento da mídia americana que não parecia imparcial ou importante o suficiente – o que devo pensar de Chris Cuomo, Quem estava promovendo seu irmão de sua posição na CNN? – Indiquei em fevereiro que o governador pode enfrentar medidas de impeachment.

O relatório da Procuradora Geral do Estado, Letitia James, na terça-feira, é endividado, e a situação de Cuomo simplesmente se torna inaceitável. Aqueles que, como Joe Biden, hesitaram em pedir-lhes que renunciassem, agora deram o passo.

Cuomo, que estava procurando por ele, agora estava sozinho em seu canto. O argumento muito fraco que ele tentou vender aos eleitores ontem fica aquém da seriedade e extensão dos fatos apresentados no relatório de investigação. Estou enviando este relatório por aqui.

  • Ouça a coluna de Luc Laliberte com Vincent Desroyault na Rádio QUB:

O governador não pode mais se apresentar como um político “local”, um homem de outra geração que luta para encontrar novas maneiras de mostrar afeto ou apreço aos membros de sua equipe ou às autoridades estaduais.

O ambiente de trabalho retratado em torno de Cuomo é tóxico e muitos lamentam uma combinação de intimidação, abuso de poder, assédio ou toque sexual indesejado. Independentemente da idade ou formação política do governante, colocar a mão sob a blusa de um subordinado para segurá-lo nunca foi uma prática aceita. Até parece uma cena ruim saída da série americana homens loucos.

Já conhecido por sua personalidade ousada e dura, Cuomo não tem escassez de inimigos políticos, democratas e republicanos, que agora se contentariam em ver sua queda. Se um aliado, até mesmo um amigo, como o presidente Biden, exigisse sua saída, você pode facilmente imaginar como seria fácil para o campo adversário explorar a situação.

READ  De acordo com Anthony Blinken | China age de forma "mais repressiva" e "mais agressiva"

Mas o que me incomoda um pouco é que um dos candidatos que pode suceder aquele que espera um quarto mandato no ano que vem é o procurador-geral James. O sistema americano às vezes nos apresenta esses arquivos que apresentam uma mistura de tipos que permite duvidar da integridade do jogo democrático.

qualquer que seja, Andrew Cuomo está isolado Vejo poucas opções além de sua renúncia. No máximo, ele poderia tentar terminar seu mandato, o que na verdade levaria a flexibilidade ao limite. As pesquisas de opinião não poderiam ser mais claras: o que ele fez foi inaceitável.

Pensando bem, o governador não ignora que estamos trabalhando sob acusações formais da capital do estado, Albany, ou que legisladores de ambos os partidos políticos estão se reunindo em antecipação a uma ação de impeachment.

O Partido Democrata, com razão, apresenta-se como um cavaleiro da causa das vítimas de perseguições e agressões. Não deixamos de levantar inúmeras alegações e acusações contra Donald Trump. O caso de Cuomo tornou-se um verdadeiro obstáculo e não pode haver dúvidas sobre a duplicidade de critérios em seu caso. Cuomo deve ir e os democratas devem insistir que isso aconteça mais cedo ou mais tarde.

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *