Dani Alves, a embriaguez do futebolista brasileiro

O ex-jogador do FC Barcelona tentará nesta terça-feira levar o Brasil a uma final olímpica. Mas cuidado com os mexicanos, formidáveis ​​na ofensiva.

Seus títulos são tão numerosos quanto suas tatuagens: aos 38 anos, o infatigável e fantástico lateral direito brasileiro Dani Alves, que enfrenta o México nas semifinais do torneio olímpico nesta terça-feira, espera adicionar em Tóquio o 43º troféu à sua lista, o mais bonito do futebol mundial. Chamado para trazer sua experiência para os tiros do jovem Auriverde, Alves chegou ao Japão com a mesma frescura e emoção dos companheiros. “Mesmo tendo vivido ótimos momentos na minha carreira, por ser minha primeira participação nas Olimpíadas, estou com frio na barriga.“, Ele confidenciou no início dos Jogos. “Estar aqui é realmente uma sensação especial. Agradeço esta oportunidade. Espero estar à altura da competição e da nossa seleção nacional».

Duas lutas agora o separam da medalha de ouro olímpica, uma das poucas recompensas que escapam de sua mesa de caça, com o título mundial. É quase uma anomalia. Na lista interminável de seus troféus, ele sente falta do mais prestigioso: a Copa do Mundo. Vencedor dos sub-20 brasileiros em 2003, Alves nunca conheceu a coroação com o A. Presente nas edições de 2010 e 2014, uma lesão no joelho o privou de uma terceira participação em 2018. Mas o capitão brasileiro se consolou um pouco em 2019 com uma segunda Copa América e um troféu de melhor jogador da competição. E uma série de sucessos do clube: 23 títulos com o FC Barcelona, ​​incluindo três Champions League, seis Liga e quatro Copa del Rey, duas Taças UEFA com o Sevilla, duas vezes Ligue 1, uma Coupe de France e uma Coupe de la Ligue com Paris SG, Série A com Juventus. Entre outras coisas …

READ  No Brasil, hit musical incentiva pessoas a se vacinarem

Na volta para casa, conquistou um novo título em maio passado, o campeonato paulista, pelo São Paulo FC. Números que dão tontura para esse garoto de uma família pobre de Juazeiro (BA), que às 10 horas se levantava às cinco da manhã para ajudar o pai na lavoura, antes de ir para a escola. Em Tóquio, o sempre verde capitão da Seleção Olímpica disputou os 90 minutos de cada partida da fase de grupos, bem como as quartas-de-final contra o Egito, que venceu por 1 a 0. Uma vitória estreita, não exatamente para o gosto deste competidor insaciável. “Poderíamos ter vencido com um placar maior, temos que nos concentrar mais“, Ele estimou.

“O fim só terá sentido se a viagem valeu a pena”

Dani alves

Vigilância e capacidade de resposta, ele vai precisar em sua pista de frente ao ataque dos mexicanos, vencedores dos sul-coreanos por 6-3 nas quartas de final. O México já havia superado a França na estreia (4-1) e marcou 14 gols em quatro partidas. Do lado oposto, os brasileiros vão contar com a eficiência de Richarlison, atual artilheiro do torneio (5 gols), para enganar o experiente e carismático goleiro Guillermo Ochoa. A Seleçao contará obviamente também com a energia e o bom humor veiculados no vestiário por Dani Alves. Nas redes sociais, onde está muito presente, destila pensamentos e aforismos positivos. “O fim só terá sentido se a viagem valeu a pena“, Gosta de repetir o capitão brasileiro sobre a aventura olímpica de sua equipe. Também o vimos por sua vez parabenizar online a jovem patinadora Rayssa Leal, medalhista de prata em Tóquio, consolar a seleção brasileira de futebol feminino, eliminada nas quartas de final, ou bancar o palhaço, empoleirado nos ombros de Richarlison em treinamento. “Dani é um louco, um menino solar, que vive sua vida a 300 milhas por hora, sempre com um sorrisoResumiu um dia seu ex-parceiro na Juve Giorgio Chiellini.

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *