Darius Miloud e o Cinema

Você sabia que Le Boeuf sur le Toit, uma se não a mais famosa das peças de Darius Miloud, foi feita como verdadeira música de filme? Quando em 1919 Darius Miloud arranjou e costurou as melodias de salsa, tango e fado ouvidas enquanto morava no Brasil, ele estava pensando em um filme de ficção e principalmente em um determinado diretor. Não foi Jean Cocteau quem iria adaptar esta música no balé pantomima, mas com Charlie Chaplin, para a jovem Charlotte cujo novo trabalho Darius Miloud pretende chamar de “Cinema-Fantasia”. Infelizmente, Chaplin nunca usará a música de Milhood, e será necessário esperar mais alguns anos para o compositor entrar no mundo do cinema…



5 minutos

Nove anos depois, em 1928, Darius Millaud e Arthur Honegger participaram de um festival de música contemporânea em Darmstadt cujo tema deste ano foi o cinema em particular. Nesta ocasião, Darius Melod compôs sua primeira trilha cinematográfica com a partitura La P’tite Lilie de Alberto Cavalcanti. Durante sua visita a Paul Hindemith, organizador do festival, ele descobriu uma máquina emocionante, o Musikchronometer, um dispositivo de sincronização que apresenta a partitura com imagens de filmes e cria ruídos ou músicas gravadas. O dispositivo de Melod, que ele usou em 1929 para transformar fitas de notícias em música, surpreendeu tal reportagem sobre o boxe canguru!



5 minutos

Darius Miloud, cinéfilo, compôs entre 1928 e 1968 cerca de trinta composições para longas-metragens, curtas-metragens e documentários. Permite-nos perceber o talento de Miloud como dramaturgo e o grande respeito que este compositor tem pela música cinematográfica. Veja a partitura do filme Cavalcade d’Amour, de Raymond Bernard, de 1939. Para acompanhar a cena das justas medievais, instrumentos de sopro de pentagrama imitam o som de instrumentos medievais e tocam música onde escalas e fórmulas antigas se sobrepõem a ritmos e contrastes ultramodernos.

Darius Miloud apreciava as partituras de seus filmes e muitas vezes os organizava para serem tocados em concerto. Assim, a trilha sonora de Cavalcade d’Amour La Cheminée du Roi René, a cortina de Malraux e L’Espoir de Beskine de Malraux e Beskine tornou-se um cortejo fúnebre para uma grande orquestra, enquanto sua música para Madame Bovary de Jean Renoir fez o propósito. Um ciclo de pequenas peças para piano tão queridas por Madeleine Melaud, esposa de Marius, que uma vez ela misturou, na hora do disco, sua voz com a interpretação de Alexander Tharrod…

Para visualizar este conteúdo do Youtube você deve aceitar cookies Publicidade.

Esses cookies permitem que nossos parceiros forneçam anúncios e conteúdo personalizados com base em sua navegação, perfil e centros de interesse.


You May Also Like

About the Author: Echo Tenny

"Evangelista zumbi. Pensador. Criador ávido. Fanático pela internet premiado. Fanático incurável pela web."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *