Desabamento de ponte, atingido por um barco em Baltimore: um cenário catastrófico improvável em Quebec

Desabamento de ponte, atingido por um barco em Baltimore: um cenário catastrófico improvável em Quebec

As pontes de Quebec estão bem protegidas caso um barco colida diretamente com uma delas, como aconteceu terça-feira em Baltimore, segundo especialistas consultados pela Organização Mundial da Saúde. Jornal.

• Leia também: Desabamento de ponte em Baltimore: seis pessoas ainda estão desaparecidas

• Leia também: Como uma ponte tão importante poderia desabar dessa maneira?

Os quebequenses que temem que tal desastre possa acontecer aqui podem ficar tranquilos.

No rio São Lourenço, por onde passam os barcos de carga, o único local onde os barcos devem evitar os cabeços é na travessia da ponte Laviolette, em Trois-Rivières.




As estruturas de proteção são claramente visíveis em torno dos pilares da Ponte Laviolette em Trois-Rivières.

Imagem retirada do site do governo de Quebec

Esta infra-estrutura, anteriormente vulnerável a colisões de barcos, foi protegida através de rupturas nos cais na década de 1980.

  • Ouça resumos dos últimos acontecimentos com o jornalista Alexandre Morinville via
    :

“Não há perigo para a Ponte Laviolette. Quanto às duas pontes em Quebec, a Ponte Quebec e a Ponte Pierre Laporte, os pilares estão próximos da costa e não podem ser alcançados por navio. Finalmente, Montreal tem uma hidrovia, então o as pontes estão protegidas.” [car les bateaux ne croisent pas de piliers]», conclui o Sr. Fafard.




O St. Lawrence Seaway passa sob a ponte Samuel de Champlain, sem nunca cruzar suas colunas.

Arquivo de imagens

“É importante tranquilizar os moradores; Um evento semelhante não poderia acontecer em Quebec. […] O gabinete da ministra dos Transportes e Mobilidade Sustentável, Genevieve Guilbault, indicou terça-feira que as estruturas das nossas pontes estão protegidas por rasgos ou estão fora das rotas marítimas.

READ  Esqueça, 4 dias por semana!

O Gabinete confirma que todos os navios comerciais que chegam ao São Lourenço também devem ser apoiados por capitães especialistas na navegação do rio.

Deve ser planejado

“É uma condição que levamos em consideração quando projetamos uma ponte, que é o efeito barco”, resume Bruno Massicot, professor do Departamento de Engenharia Civil, Geológica e de Minas da Politécnica de Montreal.

Normalmente, estruturas de proteção que se adaptam ao peso dos barcos que passam são construídas ao redor dos cais para evitar qualquer colisão.

Isto pode assumir a forma de pilhas de rochas, como em torno dos pilares da Ponte Laviolette em Trois-Rivières.

Erro de projeto?

“O objetivo do casco é destruí-lo para absorver energia ou fazer com que o navio saia do curso”, explica Mario Fafard, professor aposentado de engenharia civil.

John Zimmerman, um antigo trabalhador que trabalhava no estaleiro da ponte de Baltimore que ruiu, destacou à CNN que embora existam “pára-choques” de betão à volta dos pilares, parece que o navio embateu num local mais vulnerável. papel.

Ele acrescentou: “Pode ter atingido a parte mais fraca da ponte”. Estou chocado. “Eu não acreditava que a ponte iria desabar.”

No entanto, o Sr. Fafard acredita que tal cenário não deveria surgir. Ele acredita que “este é um erro em algum lugar por parte das autoridades dos Estados Unidos”.

“Parece que foi subestimado”, acrescenta Mascot. Se estiver correto no cálculo, levantará questões sobre os métodos de cálculo que usamos.

– Com Notícias da TVA

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *