Desvio de água do mar, transporte, diesel plástico… A inovação em tecnologia marítima está aumentando

Desvio de água do mar, transporte, diesel plástico... A inovação em tecnologia marítima está aumentando

Sedimentação da água do mar em rochas artificiais, transporte marítimo com propulsão a hidrogênio, uma rede conectada para coleta de resíduos, um analisador termoplástico que produz diesel … A inovação da tecnologia marinha está indo bem em Provence-Alpes-Côte d’Azur. O dinamismo é exemplificado pela presença de quatro empresas sediadas em Baca, incluindo três em Bouches-du-Rhone, entre os 15 nomeados para a quarta edição do Ocean Innovation Awards, promovido pelo Ministério do Mar. Veja essas empresas.

Geocorail: Concreto feito inteiramente de água do mar

Cinco anos de pesquisa e desenvolvimento entre 2012 e 2017 foram necessários para Géocorail gerenciar a sedimentação da água do mar na rocha artificial. Uma corrente elétrica circula na placa metálica submersa que, por eletrólise, gerará um depósito de cálcio e magnésio naturalmente presentes na água do mar. Os restos da crosta, que formam ligações de concreto, estão presentes no fundo do mar para formar uma rocha artificial”, explica Sébastien Bigaré, diretor de desenvolvimento da Géocorail.

A vantagem deste processo é seu baixo custo econômico – todos os materiais necessários já estão no local – e seu baixíssimo impacto ambiental. A desvantagem é o crescimento lento dessas rochas artificiais, cerca de dez centímetros por ano, o que significa que nossa tecnologia não pode responder a emergências. Mas é perfeito para combater a erosão”, resume Sebastien Bigari.

Com sede em Marselha, a empresa está experimentando um rápido crescimento, com faturamento aumentando de € 25.000 em 2007 para pouco mais de um milhão em 2021. Entre seus clientes estão a Base Militar Naval de Toulon, as comunidades de Saint-Tropez e teve que construir Breezes, e o trabalho The Reprap em Prado, em Marselha, e o desenho de recifes artificiais em Agde. Internacionalmente, foram feitos contratos com grupos hoteleiros nas Maldivas e no Brasil que possuem problemas de erosão costeira que possuem.

READ  Trem de alta velocidade atinge todo o planeta

Carga marítima e transporte de passageiros com baixas emissões

Indo para as Olimpíadas de Paris para a NepTech, uma empresa com sede em Aix-en-Provence criada em 2020 por um arquiteto naval, engenheiro e desenvolvedor comercial. Esta equipa desenvolveu várias patentes, nomeadamente na área da redução do arrasto hidrodinâmico através da injeção de bolhas de ar sob os cascos das suas jangadas. “Um dispositivo que compensa o peso dos sistemas de propulsão de eletrohidrogênio, com zero emissões de carbono, mas é três a quatro vezes mais pesado que os motores a diesel”, observa Tanguy Goetz, gerente de comunicações.

Seu protótipo está sendo testado no Lago Perrolles, perto de Aix-en-Provence. A escolha de uma localização geográfica é “impulsionada pela possibilidade de realizar testes em águas calmas, em Pyrroles, mas também em águas abertas, em Marselha e no Ródano”, explica Tanguy Goetz. Além disso, a presença de estaleiros em La Ciotat e Martigues foi crucial para esta escolha.

Selecionada na Chamada de Inovação do Comitê Olímpico de 2024, esta empresa espera conquistar seus primeiros contratos de passageiros em Paris e Marselha até então.

Earthwake, uma máquina autônoma que transforma plástico em combustível

François Daniel, CEO da Earthwake e ex-presidente da Action Against Hunger, “tudo começou com uma entrevista com Christopher Costes, um inventor baseado em Alpine Maritimes”. A história desta empresa, lançada em 2021, é antes de tudo a história de uma associação cujo objetivo é recuperar resíduos plásticos de países pobres. “Christopher Costis estava trabalhando em sua garagem na vila a cerca de cinquenta quilômetros de Nice, um protótipo de pirólise que, aquecendo resíduos de plástico a 450 graus sem oxigênio, quebra as moléculas e as devolve ao seu estado original, óleo”, continua François Daniel. Alguns anos de desenvolvimento permitiram a modificação da máquina, que agora é capaz de converter 40 kg de resíduos plásticos em 40 litros de diesel.

READ  Amazon: Joe Biden coloca Bolsonaro sob pressão

Melhor ainda, uma vez iniciado, não necessita de fonte de energia, aquecendo com o reaproveitamento dos gases liberados pela combustão. A Earthwake já assinou um contrato com a comunidade municipal de Puget-Tinier, que discutimos aqui, que opera alguns de seus caminhões com esse combustível. Esta empresa está atualmente em discussões com a comunidade em Lot-et-Garonne, bem como com as autoridades da ilha de Kerkennah na Tunísia e outras na África. Em 2021, inaugurou um novo parque industrial em Vaucluse, para construir máquinas de maior capacidade. “Despoluição e economia de energia eram nossos objetivos”, resume François Denel. Parece que ele chegou lá.

Verdes, redes para recolher o lixo antes de despejar no mar

Já não existimos (ou quase) Greencity, que 20 minutos Já pode acontecer aqui. A Marselha desenvolveu uma rede interligada para recolher os resíduos plásticos transportados pelas águas pluviais antes que acabem no mar, e a sua primeira rede foi instalada num dos 70 portos do antigo porto no passado dia 14 de dezembro.

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *