Dois embaixadores afegãos em Roma, isso é demais

(Roma) A polícia foi chamada esta semana para intervir na embaixada afegã em Roma, onde um diplomata demitido, que supostamente tinha ligações com o Taleban, agrediu o atual embaixador, disse a missão afegã.


E a embaixada afegã em Roma anunciou, em nota, terça-feira, que um diplomata nomeado pelo governo anterior, mas recentemente demitido, voltou à embaixada no mesmo dia alegando que havia sido nomeado embaixador pelo Talibã.

Ele agrediu o embaixador na presença de um funcionário da embaixada, mas o embaixador se defendeu e chamou a polícia italiana.

Trecho de comunicado à imprensa divulgado pela embaixada

Após sua chegada, a polícia escoltou o agressor para fora da embaixada.

Muitas embaixadas afegãs se encontram em uma situação paradoxal, com membros da equipe permanecendo leais ao governo pró-Ocidente que foi deposto pelo Taleban em agosto.

O Taleban não nomeou novos embaixadores para a maioria de suas representações e nenhum país reconheceu seu governo.

De acordo com o comunicado da embaixada, o diplomata demitido Muhammad Fahim Kashaf perdeu o emprego devido à sua “falta de compromisso com os valores nacionais e os valores da República Islâmica do Afeganistão”.

A República Islâmica do Afeganistão é o nome oficial do país conforme reconhecido pelas Nações Unidas, enquanto o Talibã se refere a ela como Emirado Islâmico do Afeganistão.

Segundo fonte diplomática, o diplomata “entregou o paletó” ao lado do Taleban e foi “espancado” pelos ex-colegas.

A polícia de Roma, contactada pela AFP, por sua vez, falou de um “mal-entendido”, sem dar mais detalhes.

O Ministério do Exterior afegão em Cabul negou ter nomeado Kashf como embaixador, mas também o expulsou.

Segundo o ministério, ele foi nomeado primeiro secretário da embaixada em dezembro de 2020, por meio de um contrato que vai até dezembro de 2023.

READ  Thor Barney, que escapou antes do matadouro, ainda está em fuga

“De acordo com nossos arquivos, ele ainda é um diplomata e não violou seu contrato”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Abdel Qaher Balkhi, em um comunicado. Mas o ministério não o nomeou embaixador em Roma. O contrato do Sr. Scout ainda é válido e sua rescisão é ilegal. ”

A situação especial no Afeganistão também causou problemas nas Nações Unidas, onde representantes do antigo e do novo regimes exigem o bloqueio do Afeganistão.

No ano passado, o Conselho de Segurança da ONU adiou indefinidamente qualquer decisão sobre o assunto.

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *