É “assassinado” pela Suíça e testemunha-chave do caso Petrobras se exila em Portugal

É “assassinado” pela Suíça e testemunha-chave do caso Petrobras se exila em Portugal

No dia 6 de junho, uma testemunha-chave em importantes processos criminais conduzidos pelo Ministério Público Federal vendeu sua casa em Colony, uma cidade nobre de Genebra, para se estabelecer em Portugal. “Ele não pode mais abrir nenhuma conta bancária. A Suíça o ama quando ele testemunha, mas ela o matou. Esta é a principal razão para sua mudança.” tempo Um conhecido. A villa, registada em nome da sua esposa, foi vendida por cerca de 3 milhões de francos, segundo apurámos em Folha de aviso oficial.

Antes de se tornar testemunha, F., que possui dupla cidadania suíça e brasileira, foi condenado em 2020 por cumplicidade em suborno de funcionários públicos estrangeiros e lavagem de dinheiro pelo Tribunal Penal Federal no contexto do caso Petrobras no Brasil. Um enorme caso de corrupção denominado “Lava Jato” cujos efeitos se estenderam a pelo menos 42 países.

Você está interessado neste item?

Para aproveitar ao máximo nosso conteúdo, assine agora a partir de CHF 9 – pelo primeiro mês.

Verifique as ofertas

Boas razões para assinar Le Temps:

  • Acesso ilimitado a todo o conteúdo disponível no site.
  • Acesso ilimitado a todo o conteúdo disponível no aplicativo móvel
  • Plano de postagem de 5 artigos por mês
  • Veja a versão digital do jornal a partir das 22h do dia anterior
  • Acesse os suplementos e a revista T, Temps, em formato e-paper
  • Acesso a um conjunto de benefícios exclusivos reservados aos assinantes

READ  Crescimento desacelera no segundo trimestre para 0,9%

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *