“Ele veio a Paris para ser o número um, mas …”, Neymar o considera querido

Após longos meses de férias, após a final da Copa América que jogou pelo Brasil, Neymar voltou às competições neste domingo pelo campeonato contra o Stade de Reims (0-2). Como na temporada passada, o brasileiro não brilhou, tocando 63 bolas sem chutes no relógio. Uma exibição entristecida por Ludovic Obraniak, que confirmou a falta de empenho do 10º jogador parisiense.

“Para o Neymar nem é futebol. Ele carrega consigo, há um certo tipo de ascetismo nele. Há alguns anos ele era apaixonado, morria de fome e queria mostrar a todos que era o melhor jogador no mundo. Ele também se separou de Messi por causa disso. “Ele veio para Paris para ser o número um. Mas houve um flop em um ponto, talvez ele tenha sentido que não poderia ser o melhor jogador do mundo. Daí o lealdade ao Messi, pois foi o Neymar quem fez de tudo para trazê-lo a Paris. Sentimos no Neymar desistir da exigência do profissionalismo. Olha o que Cristiano Ronaldo, Lewandowski ou Benzema impõem … Se você quiser estar na frente desses caras , tem que ter um pouco de rigor. E não é o caso do Neymar, “Colunista de Balance do L’Equipe du Soir.

READ  Saindo de Villas Bois: Uma conexão foi estabelecida entre OM e Sampaoli

You May Also Like

About the Author: Winona Wheatly

"Analista. Criador. Fanático por zumbis. Viciado em viagens ávido. Especialista em cultura pop. Fã de álcool."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *