Esportes | C1: Khaled, Real vence City e junta-se ao Liverpool na final

Madrid – Imortal Real Madrid! Graças ao inevitável Karim Benzema, o “Rei da Europa” assinou outra reviravolta extraordinária na quarta-feira no Santiago Bernabéu para nocautear o Manchester City por 3 a 1 na prorrogação (derrota por 4 a 3 no jogo de ida) e se juntar ao Liverpool na partida. A final da Liga dos Campeões em 28 de maio no Stade de France.

Deixado para morrer após o jogo de abertura de Riyad Mahrez (73), que deu ao Sky Blue uma vantagem de dois gols no total, o Real virou uma montanha novamente pelo jovem prodígio brasileiro Rodrygo, que entrou aos 68 minutos e marcou dois gols em pouco tempo distância. Segundos (90, 90 + 1) para levar a partida para a prorrogação.

E no dia 95, o herói Karim Benzema entrou em cena: silencioso e impreciso até então, o príncipe de Madrid encontrou seu manto e converteu um pênalti que ele mesmo havia causado para empurrar o Real para a final, antes de abrir caminho (104).

“É ainda mais louco (do que a qualificação contra o Paris Saint-Germain e o Chelsea) porque durou até o último minuto, até os 90 e 92 minutos… não posso explicar, é inacreditável. Quando o placar é 1- 1 e o árbitro acrescenta seis minutos, você sabe que tudo é possível”, disse o goleiro Thibaut Courtois ao apito final.

A “noite mágica” de Madri começou na década de 1990: como os torcedores do Merengue exigiram na faixa levantada antes do pontapé inicial ao lado do tifo com a foto do atacante francês, a surpreendente Casa Branca tirou suas reservas para inspirar esperança e depois glória.

– A viagem continua –

Enquanto a partida caminhava tranquilamente para as eliminatórias inglesas, o Real acordou no último minuto para se oferecer a repetição da final de 2018 em Kiev, onde a equipe liderada por Zinedine Zidane conquistou seu terceiro na Liga dos Campeões (3-1). , em partida marcada pelos erros do goleiro Loris Karius.

READ  Rustan: "Estamos a falar de futebol de uma forma cada vez mais preocupante"

Os dois gols de Rodrygo acordaram a torcida do Real Madrid, que tomou sua decisão mais permanente: “Si se puede!” (“Sim, é possível!”, em espanhol).

Esta é a primeira vez que o Real Madrid consegue apurar-se depois de perder a primeira mão das meias-finais na fase continental. Anteriormente, Los Blancos falhou oito vezes.

Mas nesta temporada, é o Real Madrid que está “irreal”: após a épica inversão da situação contra o Paris Saint-Germain nas oitavas de final (1-0, 3-1), a incrível virada contra o Chelsea nas quartas-de-final finais (1-3). , 2-3 hora local, e a saga da primeira mão em Manchester há uma semana (4-3), a equipa gerida por Carlo Ancelotti acrescentou uma nova página ao livro de épicos para a temporada continental 2021-2022.

Quatro dias depois de se tornar o primeiro treinador a vencer os cinco principais campeonatos europeus de futebol, Ancelotti, o homem que levou o Real Madrid ao “decimal”, o seu décimo C1, em 2014, poderá tornar-se no primeiro técnico da história a vencer o tetracampeonato. liga.

– Guardiola, errou novamente –

Para Pep Guardiola, por outro lado, a decepção é colossal: o técnico catalão, odiado em Madri, ainda busca um novo título da Liga dos Campeões depois de conquistar os dois títulos com o Barcelona em 2009 e 2011, e não entregará novamente. Ele terminou a final em Sky Blue, tendo perdido no ano passado para o Chelsea (1-0).

“Perdemos uma coisinha no primeiro tempo, não conseguimos dar continuidade. E no segundo tempo, quando estávamos melhores, conseguimos marcar… Então foram dois minutos”, sussurrou Guardiola após a partida. .

Os cidadãos terão que esperar para levantar a primeira “Taça das Orelhas Grandes” de sua história.

Ele resistiu por muito tempo aos ataques espanhóis, e foi até incentivado pelo gol de Mahrez e a dupla chance enorme aos 87 minutos, com uma bola defendida em sua linha por Ferland Mendy e um chute de Phil Foden para a direita de Thibaut Courtois. nos piores momentos.

READ  Jogos Olímpicos de Tóquio - Voleibol: Programa do Campeonato Masculino

Por outro lado, a dobradinha de Rodrygo reanimou os adeptos do Real Madrid, mais uma vez carregados pelo seu capitão Karim Benzema, autor de uma época cativante.

Na final, o atacante francês enfrentará seu principal rival pela Bola de Ouro, Sadio Mané. Mas o planeta inteiro já triunfou sobre o caso de Benzema na edição 2021-2022, o melhor de sua carreira, que tem 34 anos, e tem apenas um degrau a subir para avançar seu 14º título continental para o Real Madrid para sempre.

You May Also Like

About the Author: Winona Wheatly

"Analista. Criador. Fanático por zumbis. Viciado em viagens ávido. Especialista em cultura pop. Fã de álcool."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *