Federação de Taekwondo da Costa do Marfim: Quem está criando o problema?

Federação de Taekwondo da Costa do Marfim: Quem está criando o problema?

O Wold Taekwondo e a Federação Africana de Taekwondo cumpriram a decisão da justiça marfinense que invalida a eleição de Jean-Marc Yasi durante a Assembleia Geral Eleitoral no sábado, 30 de outubro de 2021. De fato, nesta Assembleia Eleitoral, as Cúpulas Mundial e Africana estiveram bem representadas. Os enviados Bala Diaye, Secretário Geral da World Taekwondo Africa, Frederic Otto, Membro do Conselho Executivo da Região da África Ocidental, e Ali Nour, Diretor Geral da WTAF, endossaram a eleição de Yassé Jean Marc como Presidente do Taekwondo da Costa do Marfim. União para o período 2021-2025 através de correspondência endereçada ao Presidente cessante Bamba Sheikh Daniel. A justiça marfinense interfere no taekwondo como a política interfere no futebol no Quênia e no Zimbábue. De fato, desde 2017, o processo normal de resolução de crises no mundo do Taekwondo foi ignorado. De acordo com uma fonte próxima ao Fitkd, no âmbito da Federação de Taekwondo da Costa do Marfim, as disputas não são resolvidas em tribunais comuns. Em caso de litígio, a Confederação de Taekwondo Africano é apreendida. O sindicato negocia em primeiro lugar. Como segundo recurso, em caso de insatisfação, o taekwondo mundial é tomado. Quando a decisão da Autoridade Mundial de Taekwondo não é satisfatória, o Tribunal Arbitral do Esporte é o último recurso. O Tribunal Arbitral do Desporto, nesta matéria, é o único tribunal competente para intervir no desporto. A justiça pode ter considerado que o estatuto da federação não foi aplicado, mas não pôde substituí-lo, devido à independência das federações esportivas em estabelecer uma administração provisória.

2017 entra na foto

Em 2017, o Comitê Olímpico Nacional da Costa do Marfim interveio com força nos assuntos internos da Federação de Taekwondo da Costa do Marfim e depois liderado por Mai Bamba Cheikh Daniel. Esta intervenção não foi bem sucedida porque o World Taekwondo Parachute rejeitou o CNO-CIV. O Taekwondo Mundial respondeu enviando o Dr. Eddy Isiaka, Presidente da Confederação Africana de Taekwondo, para transmitir os resultados deste caso à Ministra dos Esportes na época, Amecia François, ao Presidente da CNO-CIV, General Lassana Palinfo. A CNO-CIV recusou-se a implementar a decisão do World Taekwondo. Nesse clima, lembramos a organização de graduações e competições em Bouake, em Yopogon, onde eclodiram lutas entre taekwondo. Diante dessa atitude de se recusar a se submeter à sua decisão, o corpo mundial de artes marciais coreanas decidiu apoiar o sindicato liderado por Me Bamba Cheick Daniel.

READ  Quando dizemos que a recessão ficou para trás?

Do domina o taekwondo

Mais uma vez, o taekwondo marfinense está passando por uma nova crise após 2017. Uma decisão judicial do Tribunal de Primeira Instância cancelou a reunião pública eleitoral de 30 de outubro em 5 de maio. Com efeito, segundo a informação, o juiz das Câmaras solicitou o adiamento da Assembleia Geral para 29 de outubro, ou seja, a véspera da Assembleia Geral eleita. O corpo universal do Taekwondo faz parte da sabedoria do “DO” que é a arte de viver e o caminho da espiritualidade. Para o taekwondo mundial, devemos dar outra chance à Federação de Taekwondo da Costa do Marfim, que quer ter o Taekwondo como o futebol brasileiro. Assim, o Taekwondo Mundial e a Federação Africana de Taekwondo se deixaram guiar pelo Do para o bem maior do Taekwondo. Assim, o World Taekwondo cumpriu a decisão do tribunal da Costa do Marfim de não punir o país de Me Bamba Cheick Daniel, que sabia como colocar o taekwondo marfinense em um grande nível. Desde a imposição das sanções da Costa do Marfim, os atletas da Costa do Marfim vêm colocando uma cruz nas Olimpíadas de Paris em 2024. É claro que a Federação de Taekwondo da Costa do Marfim não pode mais participar das competições do organismo mundial. A Equipe Mundial de Taekwondo instruiu a Confederação Africana de Taekwondo a renovar o Comitê Diretivo anterior, presidido pelo Sr. Bamba Cheek Daniel, a fim de organizar as eleições em um período máximo de 3 meses. Nos próximos dias, Odan assumirá as artes marciais sul-coreanas na Costa do Marfim para acabar com o impasse. Uma coisa é certa, dentro de 3 meses no máximo, os membros ativos estarão de volta para as eleições. No último período, Jean-Marc Yase recebeu 157 votos de um total de 228 eleitores, diante de seus adversários, Alain Stanislas Zunon Seri (24 votos), Patrice Remarque (33 votos) e Johnson Apulaus Lulu (6 votos). e Tahirou Bathily (6 votos) e 0 votos para Soumahoro Ibrahima e Keita Amadou.

READ  Atualização da pandemia global

Duho Rudolf Claver

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *