Filipinas: pessoas não vacinadas são presas se deixarem suas casas

O presidente filipino, Rodrigo Duterte, pediu nesta quinta-feira a prisão de pessoas não vacinadas que não respeitem a obrigação de ficar em casa durante o período de maior restrição, com o objetivo de conter a onda de poluição ligada à variável omicron.

• Leia também: Boris Johnson ataca antioxidantes ‘rabiscos’

O governo apertou as restrições na capital, Manila, e em muitas áreas nesta semana, depois que os casos triplicaram nos últimos dois dias.

Os residentes não vacinados devem ficar em casa durante as restrições, que vigoram até meados de janeiro, e só podem sair para comprar necessidades básicas ou fazer exercícios.

“Diante de uma emergência nacional (…) ordenei (chefes de aldeia) que procurassem os não vacinados e pedi que não agissem. Se recusarem, se saírem de casa (…) as autoridades podem prender os rebelde ”, disse o presidente Duterte em uma mensagem gravada.

Cerca de 70% da população de Metro Manila, uma área metropolitana onde vivem mais de 13 milhões de pessoas, está totalmente imunizada, mas menos da metade da população do país está, de acordo com dados do governo.

Rorigo Duterte disse estar “consternado” com o grande número de filipinos que continuam vulneráveis. “Se você não for vacinado, estará colocando todos em risco”, visto que o vírus está “circulando por aí”, disse ele.

Maria Rosario Verger, oficial de saúde pública, disse à CNN Filipinas que o Departamento de Saúde classificou o país inteiro de 109 milhões de pessoas em “alto risco”, depois que o número de casos aumentou nos últimos dias.

Desde o início da pandemia, o arquipélago registrou mais de 2,8 milhões de infecções devido ao COVID-19 e 51.000 mortes.

READ  França | A epidemia está recuando novamente, locais de entretenimento serão reabertos

Veja também

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *