França volta aos negócios: “Sentimos sua falta, turistas” – França 24

França volta aos negócios: "Sentimos sua falta, turistas" - França 24

Depois de um “ano muito ruim”, o operador turístico parisiense Marc Vernet viu um vislumbre de luz com o retorno prometido de turistas dos Estados Unidos e de outros lugares que são bem-vindos à França na quarta-feira, caso tenham sido vacinados contra o coronavírus.

Sua agência, 2CVParisTour.com, começou a receber reservas de americanos novamente para suas visitas guiadas conduzidas em carros Citroën originais com olhos de inseto. Junho ainda está muito fraco, disse Verne, mas julho parece ser melhor, já que a França deu os primeiros passos para reconstruir sua posição como o destino número um para turistas estrangeiros.

Antes da pandemia, Verne dava três ou quatro voltas à capital por dia. O negócio secou quando a França fechou suas portas, e agora ela faz apenas cerca de três viagens por semana, quase exclusivamente para visitantes franceses. Verne saudou a reabertura da fronteira francesa para os turistas vacinados como “uma boa notícia”, mas disse que demorará mais algumas semanas para os negócios se recuperarem e “não espero funcionar bem até o próximo dia, meados de julho”.

“Estamos esperando por isso há meses e meses”, disse ele.

Leia mais >> A França abre suas portas aos turistas estrangeiros, mas com condições

Para permitir viagens, os americanos e outros visitantes da maioria dos países fora da Europa precisarão mostrar que foram totalmente vacinados contra o coronavírus com vacinas aprovadas pela Agência de Medicamentos da União Europeia.

A aceitação pela França das vacinas Pfizer, Moderna, AstraZeneca e Johnson & Johnson (Janssen) significa que o turismo não retorna imediatamente dos lucrativos mercados da China e da Rússia, que usam vacinas não aprovadas pela Agência Europeia de Medicamentos.

READ  GECI INTERNACIONAL: Um ano difícil

Sem uma dessas quatro vacinas, a maioria dos visitantes não europeus ainda terá que provar que tem um motivo convincente para visitar a França e deve entrar em quarentena ao chegar.

Mas os visitantes da Europa e de alguns países de baixo risco são recebidos de braços abertos, mesmo que não tenham sido vacinados. Esses países “verdes” incluem Japão, Coréia do Sul, Cingapura, Austrália, Nova Zelândia, Líbano e Israel. Todos os países da UE, além da Islândia, Noruega e Suíça, também são “verdes”. Turistas vacinados desses países podem ir à valsa; Pessoas não imunizadas precisam de um teste negativo recente.

“Mime-se, reserve agora”, disse o ministro francês do Turismo, Jean-Baptiste Lemoine, em uma mensagem de vídeo na quarta-feira.

“Queremos ouvir holandês, alemão, inglês, italiano e espanhol falados em todo o país”, disse ele. “Nós sentimos falta dela. Nós sentimos falta de você.”

Além de reabrir as portas aos turistas, a França também a partir de quarta-feira autorizou restaurantes e cafés a retomar o serviço indoor e as pessoas a treinarem em academias, seus estágios finais de reabertura à medida que as vacinações avançam após 110 mil mortes relacionadas ao COVID.

Para os 16 países considerados de alto risco, enquanto lutam contra o surto do coronavírus e variáveis ​​preocupantes, a França permanece proibida como destino turístico, mesmo para futuros viajantes vacinados.

Entre os chamados países “vermelhos” estão a Índia e alguns de seus vizinhos, o Brasil e alguns de seus vizinhos, além de Chile, Bahrein, África do Sul e Turquia.

Os turistas em potencial dos chamados países “laranja” – que inclui a maior parte do resto do mundo fora da Europa, incluindo os EUA e a Grã-Bretanha – ainda precisam de um recente PCR negativo ou teste de antígeno como prova de vacinação.

READ  G7: Um plano de infraestrutura global para combater a China

Se eles não foram vacinados ou se foram vacinados com vacinas não aprovadas na Europa, os visitantes potenciais dos países laranja não serão autorizados a entrar na França, a menos que tenham um profissional atraente ou outro motivo. O turismo não é um deles.

Quinze meses depois de levar turistas americanos pela última vez em um de seus passeios a pé por Paris, o guia e blogueiro Richard Nahem já garantiu duas reservas para julho.

“As pessoas definitivamente querem voltar”, disse o ex-nova-iorquino, que mora em D.C. desde 2005.

(PA)

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *