Glencore se declara culpada de corrupção e fraude na África

Glencore se declara culpada de corrupção e fraude na África

O grupo suíço Glencore anunciou, esta terça-feira, que concluiu acordos coordenados com as autoridades do Reino Unido, Estados Unidos e Brasil, reconhecendo a prática de atos de corrupção em África e na América do Sul e a manipulação dos mercados petrolíferos.

A empresa atua no comércio de matérias-primas, mas também possui várias minas de cobre e carvão e planeja pagar US $ 1,02 bilhão nos EUA e US $ 40 milhões no Brasil, enquanto o valor das multas a serem pagas ao Reino Unido ainda não foi pago. Seja persistente, detalhes do comunicado de imprensa.

Esses acordos que põem fim às ações judiciais movidas por esses países removem as nuvens que pairaram sobre o grupo por vários anos.

A Glencore foi contratada em 2018 pelo Departamento de Justiça dos EUA como parte de uma ampla investigação de corrupção, ligada às suas atividades na Nigéria, Venezuela e República Democrática do Congo. Então começaram outros julgamentos por outras autoridades.

As investigações ainda estão em andamento na Suíça e na Holanda, onde se suspeita que a Glencore não tenha tomado as medidas necessárias para prevenir casos de corrupção.

“O momento e o resultado dessas investigações permanecem incertos”, disse a Glencore.

Auditor externo por três anos

Em detalhes, a Glencore concordou em pagar uma multa de US$ 700 milhões aos Estados Unidos por fraude e corrupção, principalmente no Brasil, Camarões, Nigéria e Venezuela, e desvio de informações confidenciais, principalmente no México.

A empresa também foi condenada a pagar US$ 486 milhões em troca de manipular os preços de vários contratos negociados nos mercados de petróleo.

O grupo se declarou culpado em ambos os casos.

Parte do valor negociado com Washington, que estima que a Glencore se enriqueceu ilegalmente com centenas de milhões de dólares, deve ser doado a outras autoridades.

READ  la date du report entre Lyon et Marseille enfin connue

A Glencore também concordou em pagar quase US$ 40 milhões para encerrar uma investigação de corrupção pelas autoridades brasileiras, principalmente com a gigante petrolífera Petrobras.

A empresa também se declarou culpada na terça-feira perante os tribunais britânicos de sete acusações de corrupção em suas atividades petrolíferas em Camarões, Guiné Equatorial, Costa do Marfim, Nigéria e Sudão do Sul, de acordo com um comunicado de imprensa do escritório. Investigação Criminal (SFO).

Os subornos pagos por agentes e funcionários da Glencore com a empresa concordando em ter acesso preferencial ao petróleo totalizaram US$ 25 milhões, de acordo com uma investigação do SFO.

A multa a ser paga será determinada após a sessão de 21 de junho.

A Glencore havia indicado em fevereiro que havia reservado US$ 1,5 bilhão para resolver esses vários casos e, na terça-feira, estimou que, ao incluir a multa que ainda precisava ser paga no Reino Unido, esse valor não deveria ser excedido significativamente.

O grupo alega que reformou suas práticas éticas e de compliance e que demitiu ou sancionou alguns dos funcionários envolvidos.

“Estamos cientes das deficiências identificadas nessas investigações e cooperamos com as autoridades”, disse o CEO Gary Nagel no comunicado.

“Esse tipo de comportamento não tem lugar na Glencore, e eu, o Conselho de Administração e a equipe de gestão somos muito claros sobre a cultura que queremos e nosso compromisso de ser um operador responsável e ético onde quer que operemos”, acrescentou o diretor, em o escritório desde julho passado.

O acordo com as autoridades norte-americanas prevê a nomeação de um auditor externo por um período de três anos, cuja função é verificar se o grupo cumpre as suas obrigações e avaliar a eficácia das medidas de controlo interno e o cumprimento das regras.

READ  Como Peter Luz investe seu dinheiro como empreendedor sustentável?

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *