Grande Genebra – Brasil torna-se membro associado do CERN

O Brasil se prepara para se tornar o primeiro país da América Latina a ser membro associado do CERN, o maior centro de física de partículas do mundo, parte do qual está localizado na cidade de Meyrin. Esse novo status abre perspectivas inéditas para o país atualmente liderado por Jair Bolsonaro. Assim, o Brasil já poderá participar das reuniões do Conselho e do Comitê de Finanças do laboratório. Outra oportunidade para este país de 212 milhões de habitantes: a possibilidade de seus nacionais se candidatarem a cargos efetivos, mas também a vagas de bolsas e estudantes.

Uma longa colaboração com o país Auriverde

Este acordo entre o CERN e o Brasil é, por si só, uma meia surpresa, pois a terra das palmeiras e a Organização Européia para Pesquisa Nuclear cultivam laços estreitos há vários anos. Sua primeira colaboração data de 1990 e a participação de cientistas brasileiros no experimento Delphi, que estudou os produtos de colisões elétron-pósitron no acelerador LEP. Hoje, os institutos brasileiros continuam participando de inúmeros experimentos e programas de pesquisa no CERN. Em particular, eles estão presentes em todos os principais experimentos realizados no LHC, o maior acelerador de partículas do mundo.

Essa presença em Meyrin dá origem a vocações, já que a comunidade brasileira de física de partículas experimental dobrou na última década. Fabiola Gianotti, Diretora Geral do CERN, está encantada com a chegada do Brasil como membro associado: “Estamos muito satisfeitos em receber o Brasil como Estado Membro Associado. Nos últimos trinta anos, cientistas brasileiros fizeram contribuições significativas para muitos projetos do CERN. Este acordo fortalece a colaboração entre o CERN e o Brasil, abrindo uma ampla gama de novas oportunidades para pesquisa básica, desenvolvimento tecnológico e inovação, bem como para atividades de educação e treinamento”. Uma alegria compartilhada por Marcos Pontes, Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação do Brasil: “A adesão do Brasil ao status de Estado Membro Associado do CERN estabelece uma base sólida para a colaboração em pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação. Estou certo de que esta parceria permitirá que o setor de ciência, tecnologia e inovação alcance novos patamares em termos de desenvolvimento .” O novo status entrará em vigor assim que o processo de ratificação brasileiro for concluído.

READ  recusando a pulseira eletrônica, um deputado acampa no parlamento

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *