John Kerry chama a construção de centrais eléctricas a carvão de “irresponsável”.

John Kerry chama a construção de centrais eléctricas a carvão de “irresponsável”.

(CINGAPURA) – Construir e financiar novas centrais elétricas a carvão é “irresponsável” e descreveu a “ganância” como o principal obstáculo à ação climática, disse o enviado climático dos EUA, John Kerry, em Singapura, na sexta-feira.


Kerry também saudou as recentes discussões com a China sobre o clima e considerou as próximas negociações na Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP28) no Dubai “muito críticas”.

O antigo chefe da diplomacia norte-americana declarou que se tornou agora “irresponsável financiar ou construir uma central eléctrica a carvão em qualquer parte do mundo”.

“O carvão limpo não existe. Isto não vai acontecer tão cedo”, acrescentou durante o Fórum Bloomberg sobre a Nova Economia, em Singapura.

“Portanto, precisamos realmente de avançar na frente do carvão”, sublinhou, criticando o “status quo” que prevalece em grande parte do mundo, incluindo os Estados Unidos.


Foto do Ministério das Comunicações e Informação de Cingapura, cortesia da AFP

John Kerry e o primeiro-ministro de Singapura, Lee Hsien Loong

Na Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP26) em Glasgow, em 2021, os países participantes concordaram em “reduzir gradualmente a energia alimentada a carvão”.

A China produz pouco mais de metade do abastecimento mundial de carvão, tendo a produção interna atingido um novo recorde no ano passado, segundo as Nações Unidas.

O futuro dos combustíveis fósseis, incluindo o carvão, estará no centro das discussões na COP28 a partir do final do mês, que visa limitar o aumento da temperatura em comparação com a era pré-industrial a menos de 2 graus Celsius, de preferência 1,5 graus Celsius. °C, de acordo com as metas do Acordo de Paris.

As Nações Unidas alertaram na quarta-feira que os planos dos principais países produtores para expandir a produção de petróleo, gás e carvão ameaçam o objectivo de limitar o aumento da temperatura a 1,5 graus Celsius.

READ  O mundo em imagens | Jornalismo

John Kerry recebeu o seu homólogo chinês, Xie Zhenhua, na Califórnia no fim de semana passado, em preparação para a Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP28), antes da próxima reunião na próxima semana entre o presidente dos EUA, Joe Biden, e o seu homólogo chinês, Xi Jinping, nos Estados Unidos. Estados.

A China e os Estados Unidos confirmaram na quinta-feira que as suas recentes discussões sobre o clima foram bem sucedidas, um novo sinal da retoma do diálogo entre os dois países.

O enviado dos EUA para o clima disse que Kerry e o seu homólogo chinês, Xie Zhenhua, chegaram a um “acordo” sobre “a redução das emissões e a direcção que precisamos de tomar, e estou optimista quanto a isso”.

Um dos principais desafios que a cimeira do Dubai enfrentará é definir as características do chamado fundo de “perdas e danos”, que foi adoptado em princípio na Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP27) e que se destina a compensar os mais pobres. países para as consequências das alterações climáticas.

Os Estados Unidos não se opõem a este fundo, mas apelam à China para que contribua para ele juntamente com os países desenvolvidos.

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *