Legislação na França: Macron e a esquerda unida pescoço e pescoço

Teremos que esperar a segunda rodada, no próximo domingo, para ver se Emmanuel Macron, que foi reeleito em 24 de abril Para um segundo mandato de cinco anos, pode ou não manter a maioria absoluta e, a partir daí, sua capacidade de implementar livremente sua política de reforma.

Aliança juntos! Combinaria entre 275 e 310 assentos de acordo com a projeção do IFOP-Fiducial e 255 a 295 assentos de acordo com o Ipsos, enquanto a maioria absoluta é de 289.

Na votação, o campo de Macron e a coalizão de esquerda NUPES, filiada à esquerda radical Jean-Luc Mélenchon, receberam cada um cerca de 25% dos votos, segundo essas estimativas.

Um eleitor vota numa assembleia de voto em Estrasburgo durante a primeira volta das eleições legislativas.

Foto: Associated Press/Jean-François Badias

Mas mais de um em cada eleitor (entre 52 e 53%, segundo estimativas) evitou as urnas no domingo, um novo recorde que destaca o desinteresse dos franceses em uma votação agora ofuscada pela eleição presidencial.

O Rally Nacional (RN), partido de extrema-direita liderado por Marine Le Pen, que chegou às finais na eleição presidencial de 24 de abril, vem em terceiro lugar, com pouco menos de 20% dos votos e bem à frente da direita tradicional, que deve perder. A primeira posição de um grupo de oposição.

O partido poderia passar 20 deputados, pela primeira vez desde 1986, pela extrema-direita, o que lhe permitiria formar um bloco parlamentar.

O presidente francês Emmanuel Macron vota durante o primeiro turno das eleições legislativas em Le Touquet – Paris – Plage.

Foto: Reuters

Isso é legislativo E assim confirma a reformulação do cenário político francês em grande escala Comprometido em eleger Macron em 2017.

READ  Uma mulher do Mali esperava dar à luz sete gêmeos e nove filhos

Ter uma maioria não absoluta, mas relativa à Assembleia, complicará o curso das reformas que o presidente Macron quer fazer, especialmente no que diz respeito às pensões.

Macron se reuniu no final da campanha, pedindo aos franceses que lhe dessem um prêmio maioria clara e forte.

permanecer como uma fortaleza contra extremistasvisando assim a esquerda radical de Melenchon e a extrema direita de Marine Le Pen, sinônimo segundo ele de perturbação Para a França.

Jean-Luc Melenchon após a votação em Marselha, sul da França

Foto: Associated Press/Daniel Cole

O executivo também insistiu nas últimas semanas que pretende votar em julho um conjunto de medidas de poder de compra para combater a inflação que está atingindo os orçamentos das famílias e afetando as contas das empresas.

Caso a esquerda liderada por Jean-Luc Mélenchon pudesse vencer por maioria absoluta, o que obrigaria a uma convivência sem precedentes de um presidente recém-reeleito, ele seria privado de quase todos os seus poderes na política interna.

Veterano da vida política francesa, Melenchon provou ser seu principal oponente ao liderar uma coalizão sem precedentes de socialistas, comunistas, ambientalistas e seu próprio movimento (La France insoumise).

E liderou a campanha mais ativa, segundo comentaristas, para transformar esta eleição em um terceira rodada da presidência.

Um homem e uma menina passam em frente a cartazes eleitorais para as eleições legislativas em Bayonne.

Foto: Associated Press/Bob Edmy

A esquerda propõe um programa econômico que planeja injetar 250 bilhões de euros na economia (contra 267 bilhões de euros em receita), incluindo 125 bilhões de euros em ajuda, subsídios e redistribuição de riqueza.

As eleições estão ocorrendo em um clima de preocupação entre os franceses com o aumento dos preços dos alimentos e da energia.

READ  Desastre natural na columbia britânica: assista ao desastre do copiador de assobiador

O resultado final das eleições legislativas poderá, no prazo de uma semana, afetar a composição do poder executivo formado em 20 de maio de 15 de seus membros, inclusive Primeira-ministra Elizabeth Burne, são candidatos. No entanto, eles teriam que renunciar em caso de derrota sob uma decisão não escrita, mas já implementada em 2017 por Emmanuel Macron.

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *