Marte tem um enorme reservatório de água que poderia encher o Mar Vermelho da Terra • Earth.com

Marte tem um enorme reservatório de água que poderia encher o Mar Vermelho da Terra • Earth.com

Há mais de uma década e meia, a missão Mars Express decidiu desvendar os segredos da superfície marciana, concentrando-se na misteriosa formação Medusae Fossae (QFP).

Esta interessante feição geológica, inicialmente estudada pelas suas extensas jazidas, tem permanecido objeto de especulação e curiosidade. Mas hoje, graças a novas investigações, o véu sobre o QFP foi finalmente levantado.

Águas profundas na Formação Medusae Fossae em Marte

Thomas Watters, de instituto Smithsonian nos EUA e autor principal dos estudos originais e recentes, esclarece essas descobertas recentes.

“Explorámos novamente o QFP utilizando dados mais recentes do Radar Expresso MARSIS“E descobrimos que os sedimentos são muito mais espessos do que pensávamos: até 3,7 quilómetros de espessura”, diz Watters.

“É emocionante que os sinais de radar correspondam ao que esperamos ver nas camadas de gelo e são semelhantes aos sinais que vemos nas calotas polares de Marte, que sabemos serem muito ricas em gelo.”

Água suficiente para encher o Mar Vermelho da Terra

As implicações desta descoberta são profundas. O gelo dentro da formação Medusae Fossae, se derretesse, poderia envolver Marte em uma camada de água medindo… Profundidade 1,5 a 2,7 metros.

Isto representa o maior reservatório de água já descoberto nesta região de Marte, contendo água suficiente para rivalizar com o tamanho do Mar Vermelho na Terra.

A Formação Medusae Fossae é em si uma maravilha geológica, estendendo-se por centenas de quilómetros de comprimento e subindo vários quilómetros.

Encontra-se na intersecção das terras altas e baixas marcianas, uma potencial fonte importante de poeira marciana e um dos depósitos mais extensos do planeta.

Estudos anteriores da formação de Medusae Fossae

As observações iniciais da Mars Express indicaram a natureza gelada da formação Medusae Fossae devido à sua transparência ao radar e baixa densidade.

READ  LEGO lança kit épico de descoberta de ônibus espacial da NASA com 2.354 peças

No entanto, teorias alternativas sugeriram que a formação poderia ser uma acumulação maciça de poeira soprada pelo vento, cinzas vulcânicas ou sedimentos.

Aí vêm os novos dados do radar! “Dada a sua profundidade, se o QFP fosse apenas uma pilha gigante de poeira, esperaríamos que se tornasse compacto sob o seu próprio peso”, diz a co-autora Andrea Cicchetti, da Universidade de Harvard. Instituto Nacional de Astrofísica, Itália.

“Isto criaria algo muito mais denso do que o que já vemos em Marte. Quando modelámos como se comportariam diferentes materiais sem gelo, não havia nada que reproduzisse as propriedades do MFF – precisávamos de gelo.

Reescrevendo a história de Marte

Compreensão atual de Área QFP Indica a formação de camadas de poeira e gelo, encimadas por uma camada protetora de poeira seca ou cinza, com centenas de metros de espessura.

Embora Marte pareça estéril agora, mostra sinais de um passado rico em água, incluindo restos de canais de rios, antigos fundos oceânicos e vales escavados pela água.

Esta descoberta de grandes gelos perto do equador marciano, como o encontrado abaixo da superfície do MFF, aponta para uma era climática radicalmente diferente na história do planeta.

“Esta última análise desafia a nossa compreensão da formação das Medusae Fossae e levanta tantas questões como respostas”, diz Colin Wilson, cientista do projecto da ESA para a Mars Express e a nave espacial. Nave espacial ExoMars da ESA (TGO).

“Há quanto tempo se formaram esses depósitos de gelo e como era Marte naquela época? Se for confirmado que são gelo de água, esses enormes depósitos mudarão nossa compreensão da história do clima de Marte. Qualquer reservatório de água antiga seria um ótimo alvo.” Exploração humana ou automatizada“.

READ  7 grandes erros emocionais que até as pessoas mais estáveis ​​cometem

Implicações para a futura exploração de Marte

Para futuras missões a Marte, a descoberta de gelo em locais equatoriais, como a Formação Medusae Fossae, é inestimável.

As missões exigem a aterragem perto do equador, longe das calotas polares ou dos glaciares de alta latitude, e a água é um recurso crítico.

No entanto, Wilson adverte: “Os depósitos de MYF, enterrados sob extensas camadas de poeira, permanecem indefinidos por enquanto. No entanto, cada descoberta de gelo marciano enriquece a nossa compreensão da história hidrológica do planeta e da distribuição atual da água.”

A Mars Express continua a mapear o gelo de água nas profundezas da superfície, enquanto o TGO Mars Orbiter, equipado com o instrumento FREND, pesquisa indicadores de água próxima à superfície.

A descoberta pela FREND de uma região rica em hidrogénio, indicando a presença de gelo de água, em Valles Marineris, em Marte, em 2021, e o mapeamento em curso de sedimentos de águas pouco profundas, complementam esta compreensão.

“Os nossos esforços colectivos para explorar Marte estão gradualmente a revelar os segredos do nosso vizinho planetário, oferecendo vislumbres do seu passado e do potencial para exploração futura”, conclui Colin Wilson.

Descubra os segredos de Marte

Em resumo, as recentes descobertas da Mars Express sobre a formação de Medusae Fossae representam um marco na nossa compreensão de Marte e da sua história climática.

A descoberta de depósitos de gelo em grande escala, desafiando conceitos anteriores e revelando um potencial tesouro de recursos hídricos, enriquece o nosso conhecimento do Planeta Vermelho e muda as perspectivas de exploração futura.

Estas descobertas aproximam-nos da descoberta dos segredos de Marte e oferecem uma perspectiva promissora tanto para as descobertas científicas como para as perspectivas de exploração humana.

READ  COVID-19: À medida que o Omicron se espalha, surgem dois novos sinais de que o vírus pode estar

À medida que continuamos a explorar e analisar, cada dado contribui para o complexo mosaico do passado de Marte, fornecendo uma narrativa em constante evolução deste fascinante vizinho planetário.

A história da água em Marte

Este estudo foi realizado antes Agência Espacial Europeia.

—–

Gostou do que li? Assine nosso boletim informativo para obter artigos envolventes, conteúdo exclusivo e atualizações mais recentes.

—–

Visite-nos no EarthSnap, um aplicativo gratuito oferecido a você por Eric Ralls e Earth.com. —–

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *