No Brasil, Lula esquece a ditadura para ter paz

No Brasil, Lula esquece a ditadura para ter paz

Marcelo Mendes está dividido entre a decepção e a raiva. Ativista há pouco mais de seis anos do “Grupo Tortura Nunca Mais” no estado da Bahia, nordeste do Brasil, este jovem de trinta anos teve a alegria de se manifestar no domingo no centro de Salvador. “Várias associações de direitos humanos convocaram esta reunião para marcar o 60º aniversário do golpe militar de 31 de março de 1964”, explica este professor de economia e ativista do Partido dos Trabalhadores (PT), do presidente Luiz Inácio. Lula da Silva.

Mas o entusiasmo de Marcelo – que ainda se manifestará – foi minado pela decisão do chefe de Estado de proibir os seus ministros de participarem em qualquer evento em memória dos delitos do golpe militar. . “É incompreensível e revoltante”, exclama Marcelo. Ao fazer isso, Lula comete um erro e é culpado de omissão. Porque mais do que nunca precisamos nos mobilizar para explicar com clareza o que é ditadura! »

Interessado neste item?

Para aproveitar ao máximo nosso conteúdo, assine agora a partir de CHF 9.- pelo primeiro mês.

VERIFIQUE OFERTAS

Boas razões para assinar Le Temps:

  • Acesso ilimitado a todo o conteúdo disponível no site.
  • Acesso ilimitado a todo o conteúdo disponível no aplicativo móvel
  • Plano de compartilhamento de 5 artigos por mês
  • Consulta da versão digital do jornal a partir das 22h do dia anterior
  • Acesso aos suplementos e à T, revista Temps, em formato e-paper
  • Acesso a um conjunto de benefícios exclusivos reservados aos assinantes

READ  Brasil restabelece exigência de visto para americanos a partir de janeiro de 2024

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *