No Brasil, Lula também processa evangélicos

No Brasil, Lula também processa evangélicos

Em seu processo de retomada do Brasil, o ex-presidente Lula (2003-2010), candidato do Partido dos Trabalhadores (PT, à esquerda), não pretende negligenciar o eleitorado pobre e muitas vezes conservador, que, em 2018, votou amplamente o actual. O chefe de Estado de extrema direita, Jair Bolsonaro. Isso explica El Pais América Sob o título : “Ataque de Lola para conquistar o voto evangélico”.

Protestantes evangélicos, que representam cerca de 30% da população”,Eles eram aliados de primeira classe de Bolsonaro.”. Bolsonaro, que deve continuar sendo o principal adversário de Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições presidenciais de outubro, recebeu 70% dos votos na votação que o levou ao poder. No entanto, eles serão ainda mais divididos este ano. Caso haja duelo no segundo turno, segundo pesquisa do Datafolha, 47% dos que se declaram evangélicos votarão no atual presidente contra 45% que escolhem o líder da esquerda, pontiagudo El Pais.

A esquerda precisa desses eleitores, como deixou claro o reverendo Paulo Marcelo Schallenberger Lula. “Em 2018, houve o processo de transformar Bolsonaro em uma lenda, com padres famosos na TV transformando-o em um messias. Quando eu vi tudo isso, percebi que se Lula não fizer determinada coisa, essa votação vai novamente para Bolsonaro”. diga para El Pais.

“Reconstruindo pontes”

O mesmo padre está esperando a luz verde do Partido Trabalhista para gravar entrevistas com outros líderes religiosos para explicar a eles, diz ele, “A esquerda não é contra a família.”

O companheiro de chapa de Lula, Geraldo Alcumen, católico moderado de direita que tem boas relações com conservadores e evangélicos, foi comissionado “Para reconstruir pontes com esses eleitores.”

No final de julho, um grande evento será organizado em São Paulo “Na presença de Lula e mais de 1.500 mecenas de todo o país.” O ex-presidente também ia falar “Com líderes religiosos controversos”, Incluindo o Reverendo Sargento Isidorio, um defensor do “Dia do Orgulho Certo”.

READ  Fornecer fotocópias de cartas de crédito ao Ministro das Relações Exteriores: Novos Embaixadores do Brasil e da África do Sul no Benin

Na visão do reverendo Schallenberger, é fundamental evitar situações que possam alienar os eleitores evangélicos, como a pró-aborto de abril. Concentre-se em questões econômicas, não sociais.

“Grande parte dos evangélicos vem das classes mais populares do país, aquelas que mais se beneficiaram das políticas sociais do ex-presidente [Lula]E a lembrar El Pais. Especificamente, o Partido Trabalhista espera que a cédula incline a seu favor, lembrando os bons tempos daqueles anos. O reverendo Schallenberger já preparou a poética de sua campanha: Está no Livro das Lamentações: Revejamos em nossos corações o que nos dá esperança”.

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *