No Brasil, o desmatamento da Amazônia está acelerando ainda mais

Meio Ambiente e Animais

A floresta amazônica registrou um novo recorde de desmatamento no primeiro semestre de 2022, segundo a CNN, que se baseia em dados do Instituto Brasileiro de Pesquisas Espaciais (INPE). Um protesto de ativistas ambientais contra o presidente brasileiro Jair Bolsonaro está marcado para terça-feira, 9 de julho.

Dados de satélites do INPE mostram que a maior floresta do mundo perdeu 3.750 km² de seu território entre 1º de janeiro e 24 de junho de 2022, a maior perda desde 2016, quando o instituto começou. sua supervisão.

Desde o início do ano, os satélites registram novos recordes todos os meses, além de um recorde de 2.562 incêndios na Amazônia em junho.

Bolsonaro esquizofrênico

Os meses de maio e junho de cada ano marcam o início de grandes incêndios na região, devido à seca sazonal.

Em maio, o INPE detectou 2.287 incêndios florestais, um recorde para aquele mês desde 2004.

A destruição dos “pulmões do mundo” aumentou desde que Jair Bolsanaro assumiu o cargo em 2019, minando as proteções ambientais que ele disse serem um obstáculo ao desenvolvimento econômico.

Embora o presidente tenha aprovado vários decretos e leis para proteger a floresta, ao mesmo tempo cortou o financiamento de programas governamentais de proteção e monitoramento e pressionou pela abertura de terras indígenas para atividades de mineração e agricultura. .

Com a Bélgica

READ  Brasil: desmatamento recorde na Amazônia para um mês de fevereiro

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *