No Brasil, o Ministro dos Direitos Humanos que espezinha os direitos humanos

À frente do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, a pastora evangélica Damares Alves defende um programa eugênico na área da maternidade e se recusou a incluir indígenas no grupo prioritário de vacinação contra Covid-19, denuncia o semanário Isso é.

A Ministra do Governo Bolsonaro responsável pela Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves compromete-se “Barbárie” contra os direitos que, no entanto, deveria defender, bater a revista Isso é.

A publicação acusa-o em particular de defender um “Política eugênica” no campo da maternidade: de acordo com Isso é, teria, assim, apoiado a assinatura de um decreto do Ministério da Saúde que prevê a aquisição de implantes contraceptivos que se destina especificamente a mulheres sem-teto, prostitutas, presidiárias e portadoras de HIV e tuberculose.

Diversas associações acreditam que o governo busca, por meio desse decreto, controlar a fecundidade desses grupos vulneráveis.

“Distopia brasileira”

Para a revista, Damares Alves, 57, até parece ser “Entusiasmado com uma distopia brasileira”, como a famosa série The Handmaid’s Tale (The Scarlet Maid), baseado em

[…]

Fonte

Fundado em 1976, o “C’est-à-dire” consolidou-se como um dos principais semanários do país. De tendência liberal e localizado no centro-esquerdo, Isso é construiu uma sólida reputação por sua ampla e

[…]

Consulte Mais informação

READ  Elim. Copa do Mundo 2022 (D13) / Brasil: Treinamento com público infantil

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *