O Canadá está perdendo o brilho aos olhos dos trabalhadores internacionais

O Canadá está perdendo o brilho aos olhos dos trabalhadores internacionais

Os países com as maiores quedas nas taxas de cliques estão principalmente em África, no Médio Oriente e na Ásia, de acordo com uma análise publicada pela Even. (Imagem: 123RF)

RHéveil-matin é uma coluna diária que oferece aos gestores e seus colaboradores soluções inspiradoras para começar bem o dia. Enquanto saboreia sua bebida favorita, descubra novas dicas para tornar seu 9@5 produtivo e motivado.


Acordando de manhã. Aqueles que dependem de trabalhadores internacionais para preencher os seus empregos de baixos salários podem estar mordendo os dedos: entre o terceiro trimestre de 2023 e o final do primeiro de 2024, a percentagem de trabalhadores estrangeiros que clicaram nas suas ofertas de emprego na plataforma digital aumentou já caiu de 14,4% para 8,6%, segundo Brendon Bernard, economista-chefe da Even.

Isto ainda é melhor do que os níveis registados antes de 2021, admitiu em 24 de abril de 2024, quando divulgou a sua análise. No entanto, isto representa um declínio “significativo” em comparação com os níveis observados nos últimos dois anos.

A diminuição dos cliques não é pouca coisa e poderá refletir-se nos números da população ativa já em meados de 2024, tornando a tarefa de encontrar candidatos mais difícil, especialmente para cargos de baixos rendimentos.

Em particular, são os empregos nos serviços de acolhimento de crianças, armazenamento, limpeza, comércio a retalho, segurança e cuidados que apresentam a perda de atratividade mais notável, caindo pelo menos 45%. Por outras palavras, são os empregos de baixos rendimentos e difíceis de preencher que mais mancharam o seu brilho, resume o economista.

Segundo dados recolhidos pela plataforma de recrutamento, a taxa de cliques realizados por trabalhadores estrangeiros entre o primeiro trimestre de 2021 e o terceiro de 2023 aumentou em média de 4% para 16%.

READ  How Climbers Reached the K2 Summit in Winter for the First Time

Quando o aumento não foi grande, o declínio foi mais variável, explica Brendon Bernard.

Declínio generalizado

O que é ainda mais surpreendente é que este declínio no interesse pelos empregos canadianos é generalizado, de acordo com números compilados pela Even.

Na verdade, com exceção da Austrália, todos os 29 países que no passado estiveram mais interessados ​​nos empregos disponíveis aqui estão a registar um declínio na CTR, acrescenta o economista-chefe. Analisou locais do mundo onde os cidadãos representaram pelo menos 0,1% dos cliques em empregos no Canadá no terceiro trimestre de 2023.

Os países onde a diferença é mais pronunciada situam-se principalmente em África, no Médio Oriente e na Ásia, como o Paquistão, o Bangladesh, a Tunísia, a Argélia, o Gana, o Catar e o Quénia. Os candidatos indianos e americanos também se sentiram menos atraídos pelos empregos canadianos, com a taxa de cliques a subir de 2,32% para 1,64% e de 1% para 0,89%, respetivamente.

O declínio observado na Coreia do Sul, na América Latina e nos países da Europa Ocidental é mais “modesto”, explica o autor da análise.

Vários fatores contribuem para esse declínio, segundo Brendon Bernard. Primeiro, os mercados de trabalho e imobiliário do Canadá não são mais o que costumavam ser. Portanto, a dificuldade de encontrar habitação em particular torna o país menos atraente para os candidatos que desejam imigrar.

Para (re)ler: Recrutamento no México: A Via Sacra continua

Depois, as mudanças legislativas já impostas – como a restauração dos vistos para cidadãos mexicanos – e que estão por vir também mancharão a imagem do Canadá.

O economista cita como exemplo a adoção da medida de limitação da jornada de trabalho dos estudantes estrangeiros, bem como a redução do número de residentes não permanentes que Ottawa vislumbrou. Isto leva os candidatos internacionais a acreditar que a obtenção de autorizações de trabalho pode agora ser mais difícil.

READ  Israel concorda em estabelecer “zonas seguras” para palestinos em Gaza

Trabalhar remotamente ou não trabalhar remotamente, essa é a questão que está causando turbulência em muitas empresas.

Compartilhe sua opinião com nossos leitores preenchendo este formulário.


You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *