o desmatamento da savana do Cerrado ultrapassou o da Amazônia em 2023, um primeiro

o desmatamento da savana do Cerrado ultrapassou o da Amazônia em 2023, um primeiro

Triste primeiro. O desmatamento no Cerrado, que abrange 11 estados do centro e nordeste do Brasil, tem sido maior do que na Amazônia desde que a plataforma colaborativa Mapbiomas começou a compilar dados de vários sistemas em 2019. mapeamento por satélite.

Mais de 1,11 milhão de hectares foram destruídos nesta região em 2023, ou 68% a mais que no ano passado, segundo o coletivo de ONGs e universidades brasileiras. Essas perdas representam quase dois terços do desmatamento sofrido por todo o Brasil e aproximadamente 2,4 vezes a destruição registrada na Amazônia, aponta o relatório.

Para colocar em perspectiva, porém: no ano passado, foram desmatados 454,3 mil hectares na Amazônia, ou 62,2% menos que em 2022. Durante o mandato de Jair Bolsonaro (2019-2022), aliado do agronegócio, o desmatamento anual aumentou. em média, 75% em comparação com a década anterior.

A face do desmatamento está mudando no Brasil, concentrando-se em biomas dominados por savanas e pastagens, e diminuindo em áreas de selva “, disse Tasso Azevedo, coordenador do MapBiomas.

Mas em qualquer caso, quase todo o desmatamento no país (97%) é impulsionado pela expansão agrícola », sublinhou MapBiomas. Mais de 93% de destruição “ apresentou pelo menos um indício de ilegalidade » ou irregularidade, segundo dados do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam).

Consequências cada vez mais óbvias

De forma mais geral, o desmatamento no Brasil diminuiu em 2023 pela primeira vez em quatro anos, uma queda de 11,6% em comparação com o ano anterior. O relatório, no entanto, é uma notícia agridoce para o presidente de esquerda Luiz Inácio Lula da Silva, que se apresenta como um defensor da luta contra as alterações climáticas e prometeu erradicar a desflorestação ilegal no Brasil até 2030.

READ  COVID-19 em Brasil | Meio milhão de mortos no amanhecer do inverno

O desmatamento na Amazônia brasileira é drasticamente reduzido

A destruição da vegetação nativa neste imenso país tem consequências cada vez mais evidentes. O Rio Grande do Sul, na fronteira com o Uruguai e a Argentina, viveu nas últimas semanas o pior desastre climático de sua história, com áreas urbanas e rurais submersas por inundações causadas por chuvas excepcionais.

Quarto evento climático extremo sofrido pela região em menos de um ano, revelou-se o mais devastador, com cerca de 160 mortos e dezenas de desaparecidos. Sem falar nos gigantescos danos visíveis nas ruas da capital regional Porto Alegre e em inúmeras cidades, campos e fábricas. Porém, de 1985 a 2022, o Rio Grande do Sul, cuja produção agrícola é essencial para a economia brasileira, perdeu cerca de 22% de sua vegetação nativa, ou 3,6 milhões de hectares, segundo estudo do coletivo MapBiomas. .

A Corte Interamericana de Direitos Humanos abriu uma série de audiências no coração da Amazônia

É neste contexto que a Corte Interamericana de Direitos Humanos abriu uma série de audiências na segunda-feira em Manaus, no coração da Amazônia brasileira, onde líderes indígenas e outros representantes da sociedade civil testemunham sobre os efeitos das mudanças climáticas em seus vidas.

A Amazônia, que abriga a maior floresta tropical do planeta, é “ uma região de transcendência inconfundível » levantar o tema do clima, declarou a presidente, a costarriquenha Nancy Hernandez Lopez, na abertura da sessão. “ Esta audiência pública visa estabelecer um diálogo direto, diversificado e participativo, para ajudar o tribunal a obter elementos de julgamento » sobre as obrigações dos Estados na luta contra a emergência climática, acrescentou.

A Corte Interamericana de Direitos Humanos foi apreendida em janeiro de 2023 pelo Chile e pela Colômbia, que solicitaram um “ parecer consultivo ” Para “ esclarecer a extensão das obrigações » de cada país “para responder à emergência climática no âmbito do direito internacional “. Esse ” parecer consultivo » deve ser devolvido até o final do ano, disse uma fonte judicial à AFP. A primeira audiência ocorreu em abril, em Barbados, e outra foi realizada na última sexta-feira, em Brasília.

READ  Jair Bolsonaro é suspeito de desviar presentes de países estrangeiros no Brasil para ganho pessoal

(Com AFP)

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *