O fotógrafo Sebastião Salgado posa para a música de Villa Lobos liderada por Simone Menezes, esta noite na Filarmônica de Paris

Fotos de Sebastião Salgado para acompanhar a música do seu ilustre compatriota Heitor Villa Lobos (1887-1959): este é o atraente programa do concerto Floresta amazônica Ela foi exibida na noite de terça-feira, 31 de agosto, na Filarmônica de Paris. O show faz parte dos longamente planejados dias ‘Amazônia’, que foram adiados por conta da Covid-19 e lançados na noite de sábado por Caetano Veloso, ecoando o grande show Amazon é salgada Que termina no final de outubro.

Esta é a sequela Floresta amazônica (“Floresta Amazônica”) de Villa Lobos, obra de 1958, que será acompanhada de apresentação de fotos de Sebastião Salgado. Anteriormente, o público havia ouvido na primeira parte outro resultado do compositor brasileiro, Introdução Bacciana Brasileira nº 4 (uma peça escrita entre 1930 e 1941) e a obra de Philip Glass, Turno 1, extraído de Águas da Amazônia (2006). Neste show, a ítalo-brasileira Simone Menezes será a protagonistaOrquestra de ópera Normandia Rouen e aOrquestra Regional da Normandia, com a soprano Camilla Tettinger como solista. A Franceinfo Culture conheceu o fotógrafo e líder.

Povos indígenas da região amazônica (SEBASTIÃO SALGADO)

Franceinfo Culture: Como o projeto sequela nasceu Floresta amazônica Quem é Villa Lobos visto nas suas fotos?
Sebastião salgado : Já usei algumas peças bachiana brasileira Por Villa Lubos em Drop on Amazon. Eu estava tão animado por trabalhar com sua música em nosso projeto Amazon. A ideia de usar esta maravilhosa suíte nasceu por ocasião de um encontro com Emmanuel Hondry [directeur du département concerts et spectacles de la Philharmonie de Paris]. É música de proporções gigantescas para exibir imagens. A sala de concertos é muito bonita. Teremos uma tela especial para imagens de cerca de vinte metros.

Como esse processo é preparado e como a música e a fotografia funcionam juntas?
Sebastião salgado :Usar imagens com música é uma grande questão … O comprimento de uma frase musical raramente se adapta à largura da imagem. Como faço muitas projeções, ouço muita música para encontrar faixas adaptadas para a fotografia. Nem toda música é apropriada. A fotografia não deve prejudicar a música. E a música não deve ofuscar a fotografia, deve ser quase um fio condutor. Este sonho tinha que se tornar realidade. Quando ouvi a suíte Villa Lobos, disse a mim mesmo: Funciona. Simone Menezes me deu música. Emmanuel Hundry quebrou o resto para mim, são nove partes. E aí, comecei a ouvir cada parte, várias vezes, para ver quais imagens poderiam ter relação com ela.

O que você descobriu ao ouvir essas diferentes partes?
Sebastião salgado : Agradável. Percebi que algumas de suas extensões eram bastante femininas, a ponto de nem uma única imagem masculina poder ser associada a elas. Então imaginei uma sequência feminina. Então, descobri outras seções da ala que eram muito masculinas. A perseguição … a trama … os homens que a conduzem. música de conspiração
Totalmente masculino. Nesse espaço, não havia lugar para uma mulher solteira!

Você teve dificuldade em definir certas sequências?
Sebastião salgado : Quando Villa Lobos compôs esta peça, ainda tínhamos muitos veleiros na Amazônia para longas viagens. Parte do pavilhão é dedicada a barcos à vela. No entanto, não temos mais nada hoje. Nunca tirei uma única foto de veleiro na Amazônia! Mas tenho nuvens que fazem velas. Toda essa parte dos veleiros, transformei em nuvens, funciona perfeitamente. Tem também uma parte que fala sobre o incêndio florestal. Mas estes não são os homens que o acenderam. A floresta está queimando com enormes fagulhas caindo. Usei imagens mostradas atualmente na Filarmônica, que são erupções quase vulcânicas, explosões atômicas.

Maestro Simone Menezes (Daniella Serasoli)

Se a música é a inspiração para muitas das imagens, pode ser porque a trilha foi escrita originalmente para um filme (mansões verdes, 1959)?
Simon Menezes : A peça que era longa – uma hora – que foi encurtada para 45 minutos para ser exibida, foi na verdade composta para um filme. Mas naquela época o Villa Lobos, que já tinha uma certa idade, não se interessava pelo que as pessoas pensavam, ele compunha a música que queria! Sua pontuação não “combinou” com o filme, porque era … muito verdadeiro [la musique a été réécrite, remodelée pour le film, par Bronislau Kaper]. Depois foi esquecido um pouco, permanecendo em uma versão manuscrita … Faz apenas cinco anos que um remake foi lançado. Desde então, a orquestra finalmente conseguiu incluir esta peça em seu repertório. Isso deu a oportunidade de redescobrir essa música. O mais interessante de ver as fotos do Salgado é que fica com a impressão de que a música não foi composta para um filme, mas foi escrita recentemente!

O projeto já foi apresentado ao público?
Simon Menezes: A estreia aconteceu em Rouen. Ninguém ficou indiferente, lágrimas nos olhos … A música de Villa Lobos tinha dois pontos muito fortes. O primeiro é lírico muito profundo. Há uma nostalgia que vem um pouco da herança do fado. Ao mesmo tempo, há uma complexidade de ritmos e sobreposições que dão a ideia de uma música que ocupa um espaço, música de paisagem como a de Jean Sibelius. Com a mistura de fotos, você realmente tem essa sensação.

Os resultados de Villa Lobos foram bem escritos e detalhados?
Simon Menezes : Villa-Lobos era um personagem muito intuitivo … Ele era capaz de escrever músicas muito complexas com um rádio, um cantor ao lado e cachorros latindo … Depois disso, ele não revisou o que escreveu. Foi relançado pela Academia Brasileira de Música. Mas apesar disso, trabalhamos muito no resultado … Temos certeza que depois desse projeto, essa música vai entrar no repertório sinfônico.

Sebastião salgado : Esta é a nossa grande esperança. Porque a música de Villa Lobos é pouco conhecida. Nós sabemos o Bachianas E quase pára por aí. Na Europa, os grandes artistas franceses apoiaram a França para promovê-los, e os alemães também … Port Vila-Lobos não tinha ninguém por trás dele. O Brasil não pagou. Não existe uma política cultural. Para nós foi uma oportunidade de apresentar outra vertente de Villa Lobos. Outra peça primorosa está sendo realizada na sala de exposições Amazonas. Se pudermos ajudar a divulgar Villa-Lobos, ficaremos muito felizes.

Concerto “Floresta Amazônica” na Filarmônica
Terça-feira, 31 de agosto de 2021, 20H30
(precedido por uma conferência às 19h, que está totalmente esgotada)

READ  Undergraduate contestant Serena Pitt seems to be very outspoken with Matt James

You May Also Like

About the Author: Echo Tenny

"Evangelista zumbi. Pensador. Criador ávido. Fanático pela internet premiado. Fanático incurável pela web."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *