O referendo no Chile | “Não” à nova Constituição lidera as pesquisas de opinião

(Santiago de Chile) Um mês antes do referendo do Chile sobre uma nova constituição que propõe um estado de bem-estar social, os partidários da preservação do que herdou da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990), o mais liberal economicamente, lideravam as pesquisas de opinião nesta quarta-feira.

Publicado às 14h19

Alberto Pena
agência de mídia da França

Essa proposta de nova constituição foi a forma de apaziguar o longo e decisivo movimento social de outubro de 2019 para exigir maior justiça social.

A Assembleia Constituinte eleita de 154 deputados estava há um ano considerando sua formulação e, em quatro semanas, os partidários do “Não” (Rechazo), com o apoio da direita, lideravam as pesquisas de opinião (45%). Mas o Índice Sim (Apruebo) teve uma recuperação de 5 pontos na quarta-feira (36%) em relação à pesquisa anterior do Standards Institute.

19% dos eleitores disseram que ainda hesitam antes do voto obrigatório em 4 de setembro, no qual mais de 15 milhões de eleitores registrados foram convidados a participar.

Rodrigo Espinosa, professor de ciência política da Universidade Diego Portales, prevê: “Espera-se que em algumas semanas estejamos praticamente iguais” nas intenções de voto. eleitores.

O texto colocado em votação consagra uma “lista de direitos sociais” dos quais o Estado deve atuar como fiador. Garante o reconhecimento dos diversos povos indígenas e também estabelece um novo sistema de sistema político e judiciário, bem como uma nova forma de distribuição do poder com o desaparecimento do Senado que foi substituído pelo Conselho das Regiões.

Ele também pretende consagrar em pedra o direito ao aborto, com a possibilidade de o Chile se tornar um dos primeiros países do mundo a consagrá-lo em sua constituição.

READ  Florida | Ron DeSantis assina lei contra a "censura" das redes sociais

A campanha oficial começou no contexto da desinformação poluente “interpretações de algo já complexo de entender”, lamentou Alejandro Morales, médico em comunicação da Universidade do Chile.

Cópias do novo projeto de constituição proposto e seus 388 artigos estão disponíveis ao público e os chilenos estão ansiosos para entender o que está em jogo.

O governo do presidente de esquerda Gabriel Borek, que é a favor da nova Lei Básica, imprimiu 900 mil exemplares como parte de uma campanha chamada “Voz com Conhecimento”.

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *