OM – “Gerson é o melhor meio-campista do Brasil”

Para Demetrius Ferreira, ex-jogador brasileiro de OM, Gerson é o recruta ideal.

Ex-lateral do OM de janeiro de 2004 a julho de 2006, Demetrius Ferreira voltou a morar no Brasil e é um observador atento do campeonato brasileiro. O finalista da Taça UEFA de 2004 falou com os nossos colegas de Provença para analisar as chegadas de seus compatriotas Gerson e Luan Peres ao Canebière.

Gerson, a “Jogador completo”

E para Ferreira, OM tirou a sorte grande com Gerson (recrutado por 20 milhões de euros do Flamengo): “ele é o melhor meio-campista do Brasil. Ele tem muitas qualidades: prepara o jogo, é bom no mano-a-mano, é muito forte técnica, fisicamente e mostra inteligência. Ele é um jogador completo, podemos constatar que já marcou (em amistoso contra o Servette, nota do editor) ”.

“Ele conquistou a Copa Libertadores de 2019 e foi um dos melhores em campo. Ele tem jogado em um nível muito alto por dois anos ”, ele adiciona.

O artigo continua abaixo

Ferreira então explica nas colunas de Provença por que Gerson não venceu na Europa durante sua primeira passagem, na Roma e depois na Fiorentina, entre 2016 e 2019: “Quando você vai para a Europa jovem, não é fácil ter sucesso. Depende do clube, do país … Para adaptação, muita coisa importa. […] Hoje, na OM, são três brasileiros. Isso é bom. Se você levar apenas Gerson, a adaptação pode ser difícil. “

Ferreira otimista para Luan Peres

Demetrius Ferreira também falou sobre a contratação do zagueiro Luan Peres: “Já o vi jogar menos, mas pelo que vi é um defesa muito bom. Jorge Sampaoli já passou muito tempo no Brasil. Ele nunca teria desejado um jogador mediano, principalmente em um clube como o OM … Ele já o conhece, isso é uma vantagem. Acredito, se não me engano, que ele pediu ao Atlético Mineiro (clube comandado por Sampaoli antes de ingressar no OM, nota) para o recrutar. Ele não está mal fisicamente, só vai ter que se adaptar ao jogo, mais rápido que no Brasil, mas não estou preocupado. “

Por fim, a OM tem desde o ano passado um terceiro jogador brasileiro, Luis Henrique. E Ferreira está sob o feitiço do jovem atacante brasileiro: “Eu já o acompanhava quando ele estava no Brasil. Eu tinha visto alguns de seus fósforos. Ele também é um jogador muito bom. Eu tinha dado uma entrevista no Canal + em que avisava que não se esperava que ele fosse bom logo de cara, que ele era jovem, que precisava de tempo para se adaptar. Hoje ele mudou fisicamente. Ele é mais poderoso, mais decisivo. É bom. “

READ  cinco razões para não se preocupar (muito) com as variantes

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *