Pegadas israelenses nas escolas brasileiras

Teerã (IQNA)- “Eu queria organizar a marcha do Dia do Quds, mas tal coisa nunca havia acontecido antes em Guaranto de Norte, e o ambiente não era propício para tais atividades políticas”.

Ahmad Qaderi, religioso do seminário de Qom enviado às cidades da Guiana e Guaranto no Brasil, de fevereiro de 1997 a junho de 1998, em uma breve nota por ocasião do Dia de Quds, escreveu: “Minha experiência limitou-se a frequentar as escolas e era muito difícil coordenar com as autoridades, para que um estrangeiro pudesse entrar nas escolas. Mas, graças a Deus, recorrendo ao Ahl al-Bayt (que a paz de Deus esteja com eles), as coisas avançaram por conta própria .

Uma das escolas que frequentei era uma escola secundária onde queria ensinar persa. Na entrada, um diretor de escola de meia-idade estava esperando para me cumprimentar. Imediatamente após me cumprimentar, ele me perguntou: De onde você é? Eu disse que era iraniano e imediatamente perguntei a ele: “Você conhece o Irã?” O diretor da escola respondeu: “Não conheço o Irã, mas conheço Israel e também viajei para lá”. Foi então que percebi como Israel havia colonizado as mentes das nações do mundo!

Naquele mesmo ano, no final do mês sagrado do Ramadã e na véspera do dia de Al-Quds, eu queria organizar uma marcha, mas fui ameaçado e eles me deram uma séria advertência. Falei com um dos policiais brasileiros. As opiniões desse brasileiro sobre Israel me interessaram muito. Quando lhe perguntei sobre a ocupação da Palestina pelos ocupantes israelenses, ele respondeu: “Acho que os palestinos não devem perturbar a vida dos judeus. Eles devem viver juntos! »

READ  No Brasil, a vacinação anti-Covid-19 mostra seus efeitos: "Ainda não estamos em uma situação confortável, mas está melhorando"

ردپای اسرائیل در مدارس برزیل

ردپای اسرائیل در مدارس برزیل

4053418

You May Also Like

About the Author: Hannah Sims

"Guru profissional do café. Jogador típico. Defensor do álcool. Fanático por bacon. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *