Praias espanholas estão cheias de micróbios plásticos

Praias espanholas estão cheias de micróbios plásticos

(Noya) Os voluntários tentam há dias, usando filtros ou peneiras, recolher milhões de bolas de microplástico que caíram em Dezembro de um navio porta-contentores, que está a invadir a costa do noroeste de Espanha e a causar uma tempestade política.




Estas bolinhas brancas têm sido encontradas nas costas da Galiza desde que seis contentores caíram no mar, no dia 8 de Dezembro, vindos de um navio mercante de bandeira liberiana que navegava entre Algeciras e Roterdão.

Segundo a gigante transportadora dinamarquesa Maersk, proprietária destes contentores, um deles continha sacos cheios de grânulos de plástico destinados especificamente à produção de garrafas.

Nesta região de Espanha, ainda traumatizada pelo derrame de petróleo de 2002 resultante do naufrágio do petroleiro Prestige, centenas de voluntários trabalham com peneiras ou filtros para livrar as praias destes milhões de “pelotas”.

“Recolhemos os pellets com ferramentas próprias”, afirma Adriana Montoto, farmacêutica de 35 anos, que lamenta que “são as ONG que regulam tudo” e não as autoridades.

Fotografia de Miguel Vidal – Reuters

De acordo com uma estimativa feita para a Comissão Europeia em 2018, até 167.000 toneladas de microesferas de plástico escapam para a natureza na Europa todos os anos.

Por exemplo, Sonia Iglesias Rey, uma empregada doméstica de 26 anos que veio ajudar em Noya Beach, usa uma cesta de vime porque “as bolinhas flutuam” na água.

“É muito difícil recuperar”

Essas ações de “limpeza cidadã” são organizadas por organizações como Ambientalistas em Ação. As autoridades regionais, que têm amplos poderes em Espanha e são acusadas de “inação”, anunciaram na segunda-feira a mobilização de 200 pessoas para ajudar no processo de limpeza.

Cristobal Lopez, porta-voz da ONG, lamentou que o Estado e as autoridades não tenham fornecido “os meios”. Ele insiste que teria sido muito mais fácil “retirar todos os sacos da água” imediatamente após os recipientes terem caído.

O tamanho dessas pequenas bolas é de 5 mm de diâmetro […] “É muito difícil recuperá-lo depois de misturado com areia”, afirmou num comunicado a ONG, que apresentou queixa na terça-feira contra o proprietário do navio por “cometer crimes contra o ambiente”.

A própria Procuradoria-Geral espanhola anunciou esta segunda-feira que abordou o assunto e abriu uma investigação.

De acordo com uma estimativa feita para a Comissão Europeia em 2018, até 167.000 toneladas de microesferas de plástico escapam para a natureza na Europa todos os anos.

Essas bolinhas, às vezes chamadas de “lágrimas de sereia”, foram parar em massa há cerca de um ano na costa oeste da França.

Esses pellets são frequentemente ingeridos por animais marinhos, podendo acabar na alimentação humana.

“A sua forma e tamanho atraem muitas espécies de aves, peixes e crustáceos que os confundem com ovas de peixe” e podem morrer “quando o estômago estiver cheio de plástico”, explicam os ecologistas em ação.

Fotografia de Miguel Vidal – Reuters

As praias dos municípios de Vigo, Pontevedra, Moros, Noya e até Ferrol e La Coruña são as mais afetadas, mas também foram encontradas microesferas em zonas vizinhas.

“Ainda não sabemos a extensão dos danos”, comentou terça-feira a ministra da Transição Ecológica, Teresa Ribera, na rádio Cadena Ser.

Um ponto de viragem político

A questão tomou um rumo altamente político pouco mais de um mês antes das eleições regionais na Galiza, o reduto do líder da oposição de direita a nível nacional, Alberto Núñez Viejo.

Na verdade, o governo de esquerda, que Figo lidera há muito tempo e que permanece nas mãos do seu Partido Popular, acusou a região de longos atrasos nos pedidos de ajuda estatal.

“A limpeza da praia só pode ser assegurada através do enorme empenho dos voluntários e das organizações ambientais”, disse o Ministério da Transição Ambiental à AFP na terça-feira.

O Partido Somar, de extrema-esquerda, membro da coligação governamental do primeiro-ministro socialista Pedro Sánchez, chegou ao ponto de anunciar na terça-feira que apresentou uma queixa por “inação” contra esta região, que acabou por anunciar na terça-feira que iria apresentar uma ação judicial contra esta região. O nível de alerta de poluição foi elevado para 2, condição necessária para o governo central enviar ajuda.

Vigo respondeu na terça-feira que “o que é tóxico” no caso “é o uso político” que a esquerda está fazendo dele.

READ  Ida será "muito perigosa" quando chegar à costa americana

You May Also Like

About the Author: Alec Robertson

"Nerd de cerveja. Fanático por comida. Estudioso de álcool. Praticante de TV. Escritor. Encrenqueiro. Cai muito."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *