Prêmio da Academia: indicação de documentário político que divide o Brasil

(Rio de Janeiro) segunda-feira indicação ao filme A democracia está em perigo Ganhou o Oscar de Melhor Documentário que gerou reações mistas no Brasil, entre comemorações da esquerda e fortes críticas da direita a esse longa-metragem extremamente político.


France Media

O documentário de Petra Costa, que fala de uma perspectiva pessoal sobre o julgamento da ex-presidente de esquerda Dilma Rousseff (2011-2016) e a ascensão do presidente de extrema direita Jair Bolsonaro ao poder, está disponível no Netflix desde junho passado.

“Petra Costa fez bem pela seriedade com que contou este importante período da nossa história. Viva o cinema nacional! A verdade triunfará”, disse o ex-presidente de esquerda, Luís Inácio Lula da Silva, antecessor do mestre.eu sou Rousseff.

A ex-parlamentar comunista Manuela Davila, candidata à vice-presidência durante a eleição presidencial de outubro de 2018, confirmou na mesma rede social que Petra Costa poderia ser “a primeira diretora latino-americana a ganhar” um Oscar de melhor documentário.

“Em um momento em que a extrema direita se espalha como uma epidemia, esperamos que este filme nos ajude a entender como é importante proteger nossas democracias”, disse a diretora no Twitter, enquanto dizia que estava “afetada” e “em transe “após esta data.

Por parte do governo Bolsonaro, disse ao jornal o secretário especial de Cultura Roberto Alfim Folha DS Paulo Que “se ele estivesse em uma categoria fictícia, a indicação teria sido válida”.

Ele acrescentou: “Isso mostra que a guerra cultural está ocorrendo não apenas aqui, mas também a nível internacional.”

O PSDB, de centro-direita, alvo de muitas críticas no documentário, também reagiu sarcasticamente, no Twitter: “Parabéns a diretora Petra Costa pela indicação de Melhor Ficção e Fantasia. A democracia está em perigo ».

READ  Este filme foi considerado "doente" e "degenerado". Depois de muitos anos ele voltou

A cultura brasileira passou por um período turbulento desde que Jair Bolsonaro assumiu o poder, há um ano, com a retirada de muitos subsídios e atos de censura, principalmente para projetos relacionados às questões LGBT.

Isso não impede que o cinema brasileiro seja levado pelo vento: no Festival de Cannes, o filme Bakurao Ele ganhou o prêmio do júri enquanto A vida invisível de Eurídice Gusmão Ela recebeu um prêmio das Nações Unidas por um certo respeito.

You May Also Like

About the Author: Echo Tenny

"Evangelista zumbi. Pensador. Criador ávido. Fanático pela internet premiado. Fanático incurável pela web."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *