Reiniciando o Grande Colisor de Hádrons em busca de matéria escura

Reiniciando o Grande Colisor de Hádrons em busca de matéria escura
O instrumento consiste em um anel de 27 quilômetros (16,7 milhas) de circunferência, que é feito de ímãs supercondutores resfriados a -271,3 °C (-456 °F) – que é mais frio do que Espaço sideral. Ele funciona esmagando pequenas moléculas para permitir que os cientistas as observem e vejam o que está dentro.
Pode parecer coisa de ficção científica, mas o colisor reformado eventualmente permitirá que a humanidade assista matéria escuraOs físicos esperam.
Em 2011, o Grande Colisor de Hádrons, localizado a 100 metros de profundidade na Organização Europeia para Pesquisa Nuclear (CERN), ajudou os cientistas a provar a existência de uma partícula subatômica chamada Bóson de Higgs – Que se acredita ser um bloco de construção essencial do universo, que remonta ao Big Bang, bilhões de anos atrás.

A Organização Europeia para Pesquisa Nuclear (CERN) disse em seu site que os ímãs do colisor “apertam” pequenas partículas, fazendo com que elas se colidam, o que os cientistas observam.

Essas partículas são tão pequenas que seu revestimento para colidir, disse o CERN, “é como atirar duas agulhas a 10 quilômetros de distância com tanta precisão que elas se encontram no meio do caminho”.

As melhorias no colisor significam que os cientistas poderão estudar o bóson de Higgs “em grande detalhe”, disse o CERN em um comunicado de imprensa na sexta-feira.

Uma equipe de especialistas espera agora poder esmagar mais partículas com o objetivo de entender os mistérios da matéria escura – uma massa invisível e indescritível que não pode ser vista porque não absorve, reflete ou emite luz.

Um processo complexo repleto de tensão

Acredita-se que a matéria escura componha a maior parte da matéria do universo, e foi descoberta anteriormente por meio de sua capacidade de criar distorções gravitacionais no espaço sideral.

READ  Câmeras de campainha e de painel do Reino Unido capturam o meteoro em vídeo

Os cientistas também se concentrarão em experimentos que esperam aumentar seu conhecimento sobre chuveiros de raios cósmicos – que ocorrem quando minúsculas partículas do espaço entram em contato com a atmosfera e depois “caem” na Terra, diz o CERN.

O Large Hadron Collider foi lançado pela primeira vez em setembro de 2008 e foi fechado por três anos para atualização. Reiniciá-lo foi um processo complicado.

Rendy Sternberg, encarregado das operações da sala de controle, disse à Reuters no início desta semana que ligá-lo “vem com uma certa sensação de nervosismo e nervosismo”.

“Não é um coração em um botão”, disse ele.

You May Also Like

About the Author: Opal Turner

"Totalmente ninja de mídia social. Introvertido. Criador. Fã de TV. Empreendedor premiado. Nerd da web. Leitor certificado."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *